Rádio Observador

Beja

Ovibeja arranca “cheia” para mostrar todo o Alentejo deste mundo

A 36.ª feira Ovibeja começa esta quarta-feira com o tema "as alterações climáticas na agricultura". Além das várias exposições e atividades, a feira terá espetáculos que animam as "ovinoites".

NUNO VEIGA/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

Os efeitos das alterações climáticas na agricultura é o tema da edição deste ano da feira agropecuária Ovibeja, que arranca esta quarta-feira, “cheia” e com “mais de mil expositores” para mostrar “todo o Alentejo deste mundo”.

Houve “bastante procura de expositores, mais do que no ano passado” e a 36.ª Ovibeja vai decorrer “cheia” até domingo, no Parque de Feiras e Exposições de Beja – Manuel Castro e Brito, segundo Rui Garrido, presidente da associação ACOS – Agricultores do Sul, a organizadora da feira.

De acordo com a ACOS, estão presentes “mais de mil expositores” de diversos setores de atividade e distribuídos por vários pavilhões instalados numa área de 10 hectares do parque.

Segundo Rui Garrido, na edição deste ano, a Ovibeja, que “é uma espécie de Ronaldo do Alentejo que toda a gente conhece no país e no estrangeiro”, tem o “mesmo esquema dos últimos anos”, assumindo como tema “as alterações climáticas e os seus efeitos na agricultura”.

O tema vai estar presente em seminários, colóquios, “workshops”, ações de sensibilização e na exposição interativa “Terra – Agricultura e Alterações Climáticas no Alentejo”.

A novidade deste ano é o espaço “ACOS+ Natureza e Equilíbrio”, com atividades pedagógicas para crianças e famílias, mas o certame volta a contar com os tradicionais pavilhões institucional, com empresas e instituições, da pecuária, com mais de 300 animais, das aves, para a 24.ª Mostra de Aves, multiusos e de comércio e serviços, o espaço agroalimentar e as zonas de bares e tasquinhas e da restauração.

À edição deste ano regressam o Campo da Feira, para demonstração e venda de máquinas e serviços agrícolas, o Pavilhão Terra Fértil, uma mostra de inovação na agricultura e nas agroindústrias, a Arena do Azeite, dedicada à promoção do Alentejo como “principal região produtora” de azeites em Portugal, e o Pavilhão do Cante, das Artes e dos Ofícios.

A realização de colóquios sobre vários assuntos do mundo agrícola é outra das valências da Ovibeja, que, como é hábito, deverá ser destino de uma “romaria” de políticos, entre governantes e líderes partidários.

Gastronomia, entrega dos prémios do 9.º Concurso Internacional de Azeites Virgem Extra – Prémio CA Ovibeja, uma corrida de touros, exposições, concursos, garraiadas e provas desportivas são outras das ofertas do programa.

Quanto ao cartaz de espetáculos que anima as “ovinoites”, os destaques são os concertos dos cantores António Zambujo, esta quarta-feira, Fernando Daniel, na quinta-feira, Matias Damásio, na sexta-feira, e Rui Veloso, no sábado.

O concerto de António Zambujo resulta de uma parceria entre a ACOS e a Câmara de Beja e está incluído no espetáculo comemorativo dos 45 anos do 25 de Abril na cidade, promovido pelo município e a decorrer no recinto da Ovibeja, que tem entradas livres a partir das 22:00.

Antes do concerto de António Zambujo, marcado para as 00:30, o espetáculo vai incluir uma atuação do grupo de flamenco Pringá, às 22:30, e fogo-de-artifício, às 00:00.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Combustível

O mundo ao contrário /premium

João Pires da Cruz

Se o seu depósito é mais importante do que aquilo que os pais deste bebé sentiram quando lhes disseram que o filho deles morreu instantes depois do nascimento, é porque tem o mundo ao contrário.

António Costa

O favor que Costa fez à direita /premium

Sebastião Bugalho

Nestes quatro anos, Costa normalizou tudo aquilo que a direita se esforçou por conquistar, o que levanta uma questão simples: o que poderá dizer o PS contra um futuro governo do centro-direita?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)