A polémica aconteceu na última semana, a dias da visita do presidente dos EUA, Donald Trump, ao Reino Unido. Aparentemente Trump foi atraiçoado pela memória relativamente às declarações que fez sobre a duquesa Meghan Markle numa entrevista. O presidente ter-lhe-á chamado “maldosa”, mas agora negou tê-lo sequer afirmado. Problema: a entrevista ao The Sun estava gravada.

A entrevista foi feita a propósito da visita do presidente ao Reino Unido, que começa esta segunda-feira e se prolonga por três dias. O jornalista que o entrevistou confrontou-o com as palavras de Meghan Markle em 2016, que se mostrou publicamente ao lado de Hillary Clinton chamando Trump de “misógino e divisivo”. A agora mulher do príncipe Harry disse mesmo que, caso o empresário ganhasse as eleições, sairia do país e iria viver para o Canadá. A primeira resposta de Trump ao jornalista foi, no entanto, com surpresa:

— Não sabia disso. O que posso dizer? Não sabia que ela era assim maldosa.

De seguida, o presidente ressalvou que estava contente por ela se ter juntado à família real britânica e que daria uma ótima princesa.

No entanto, no domingo, já depois da publicação da entrevista, Trump sugeriu que as suas observações sobre Meghan foram retiradas do contexto. No Twitter escreveu: “Eu nunca chamei Meghan Markle de provocadora. Isto são Fake News (notícias falsas).

Logo a seguir à sua revelação no Twitter, o jornal The Sun publicou o áudio da entrevista para mostrar que sim. Trump tinha chamado “nasty” à princesa, avançou a BBC.

Os três dias de Trump no Reino Unido