Rádio Observador

Bloco de Esquerda

Bloco de Esquerda confirma acordo com o Governo sobre Lei de Bases da Habitação

193

Depois de o PCP ter anunciado que tinha chegado a acordo com o Governo sobre a Lei de Bases da Habitação foi a vez do Bloco de Esquerda confirmar o entendimento. A "geringonça" voltou a funcionar.

JOSE SENA GOULAO/LUSA

Está oficializado: a geringonça chegou a acordo para aprovar a primeira Lei de Bases da Habitação. Na última reunião do grupo de trabalho que discute este dossier já tinha sido anunciado o acordo à esquerda mas faltava a cerimónia devida. Primeiro foi o PCP, que ao fim da tarde de quarta-feira deu uma conferência de imprensa para colher os primeiros louros de mais um acordo “com o Governo”. O Bloco de Esquerda não quis ficar para trás e esta manhã fez o mesmo número. Os anúncios aconteceram com poucas horas de diferença.

Pela voz de Pedro Filipe Soares, o BE congratulou-se por ter conseguido travar “alguns recuos que estavam a ser previstos no grupo parlamentar do PS”. Ressalvando que o resultado final não é a proposta do partido, mas sim o “acordo possível com o PS”, o líder parlamentar bloquista sublinhou que houve três medidas que foram fundamentais para que o partido decidisse fechar o entendimento: “o reconhecimento da função social da habitação“; “a garantia de que o sistema de acesso à habitação é compatível com o rendimento das famílias“; e a “criação de um parque habitacional público, começando a reverter a situação lamentável de o Estado apenas deter 2% [do mercado habitacional]”.

Três eixos que Pedro Filipe Soares garante que decorrem diretamente das negociações que o Governo foi mantendo com o Bloco de Esquerda sobre esta matéria. “O BE foi fazendo sempre um caminho de aproximação“, explicou. Há matérias em que o partido gostaria de ter “ido mais longe”, mas onde ainda assim foi possível chegar a acordo com o PS, como a “defesa dos fiadores na transmissão de crédito” ou a criação de um “regime especial para quem está em situação de dificuldade financeira”.

O Bloco de Esquerda dá como garantido o seu voto favorável, mas deixa ainda dois desafios aos socialistas para o pouco tempo que ainda resta antes da votação da Lei de Bases da Habitação. “Não faremos depender o nosso voto destas duas matérias, mas desafiamos o PS a incluí-las no texto final: a retirada das referências ao alojamento local na Lei de Bases da Habitação e a inclusão do impedimento de despejo durante o inverno.

Sobre o timing do anúncio do BE, que falou já depois de o PCP, Pedro Filipe Soares apresentou um argumento inesperado. “Os dois anúncios depois de as propostas de alteração do PS terem sido entregues na respetiva comissão. O PCP optou por fazer a conferência de imprensa ontem. No BE, recorrendo às nossas vozes sábias que lidam com a comunicação social, decidimos fazê-lo hoje porque ontem dava o jogo da Seleção Nacional. Como a agenda mediática estava sobrecarregada, foi essa a nossa escolha. Não teve nada a ver com cálculo político”, garantiu.

A votação final global da nova Lei de Bases da Habitação está prevista para 14 de junho.

(Texto atualizado às 13h33 com informação sobre a reunião de quarta-feira do grupo de trabalho que discute a Lei de Bases da Habitação)

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: jmozos@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)