Rádio Observador

Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo faz visita de Estado à Costa do Marfim entre quarta e sexta-feira

1.469

O Presidente da República viajará para a Costa do Marfim na quarta-feira, a partir de Cabo Verde, onde vai comemorar o Dia de Portugal.

RUI OCHOA/PRESIDÊNCIA DA REPÚB/LUSA

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai realizar uma visita de Estado à Costa do Marfim entre quarta e sexta-feira, durante a qual serão assinados acordos bilaterais e receberá um doutoramento honoris causa.

Segundo uma nota divulgada no portal da Presidência da República na Internet, Marcelo Rebelo de Sousa desloca-se à Costa do Marfim a convite do seu homólogo costa-marfinense, Alassane Ouattara – que visitou Portugal em setembro de 2017 -, com “o intuito de consolidar o relacionamento existente entre os dois países, aproveitando a dinâmica muito positiva existente” no plano bilateral.

“O programa foi desenhado de modo a incluir uma forte componente política e outra económica, com a participação do Presidente da República na sessão de encerramento de um fórum entre empresários portugueses e costa-marfinenses”, lê-se na mesma nota.

Marcelo Rebelo de Sousa viajará para a Costa do Marfim na quarta-feira, a partir de Cabo Verde, onde vai comemorar o Dia de Portugal, e deverá chegar pelas 21:20 locais (22:20 em Lisboa) ao Aeroporto Internacional de Abidjan, onde será recebido por Alassane Ouattara, com quem terá um breve encontro.

De acordo com o programa oficial, hoje divulgado, a reunião solene entre os dois chefes de Estado acontecerá na quinta-feira de manhã, no Palácio da Presidência da República da Costa do Marfim, antecedida por uma cerimónia de receção com honras militares e pela assinatura de acordos bilaterais, estando prevista uma conferência de imprensa no final.

Depois, o programa do Presidente da República inclui um almoço com empresários portugueses e o encerramento de um fórum económico luso-marfinense. Estão presentes na Costa do Marfim, entre outros grupos, a construtora Mota-Engil, a farmacêutica Bial, o fabricante de tintas Neuce e o Grupo Ferpinta, que fabrica produtos metálicos.

À tarde, Marcelo Rebelo de Sousa fará também uma visita a um hospital de cuidados materno-infantis com a mulher do Presidente da Costa do Marfim, Dominique Ouattara, e à noite estará num jantar oficial oferecido pelo seu homólogo.

Na sexta-feira, o Presidente da República receberá o Diploma de Cidadão Honorário e a Chave da Cidade de Abidjan, a capital económica da Costa do Marfim, o que implica uma “cerimónia tradicional de elevação a chefe tradicional”, e em seguida receberá um doutoramento honoris causa na Universidade Félix Houphouët-Boigny.

Antes de regressar a Lisboa, o chefe de Estado irá ainda visitar o Centro de Tratamento de Resíduos de Abidjan, operado pela Mota-Engil, e terá encontros com representantes da comunidade portuguesa na Costa do Marfim, que é estimada em cerca de 200 pessoas, e com alunos de língua portuguesa.

Marcelo Rebelo de Sousa é o segundo Presidente português a visitar esta antiga colónia francesa, depois de Mário Soares, que esteve na Costa do Marfim em visita de Estado em 1989.

Esta será a sua 15.ª visita de Estado desde que tomou posse como Presidente da República, em março de 2016.

Integram a sua comitiva o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias, o líder parlamentar do CDS-PP, Nuno Magalhães, e os deputados Jorge Paulo Oliveira, do PSD, João Marques, do PS, e Diana Ferreira, do PCP, assim como o presidente da Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal (AICEP), Luís Castro Henriques.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros de órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)