O futebol feminino continua em franca expansão e, depois do crescimento do número de praticantes, da competitividade da Primeira Liga e da presença da Seleção Nacional em Campeonatos da Europa seniores ou Sub-17, chega o momento da chegada de algumas das internacionais portuguesas às melhores equipas da Europa. Ou, neste caso, a melhor: Jéssica Silva, avançada que representou nas últimas duas temporadas o Levante (Espanha), assinou pelo tetracampeão europeu Lyon.

Depois de alguns anos no Clube Albergaria, Jéssica Silva teve a primeira experiência internacional na Suécia, onde representou o Linkoping FC durante duas épocas. Regressada a Portugal, à formação de origem, a jogadora esteve ainda uma temporada no Sp. Braga (no ano de estreia na Primeira Liga das minhotas) antes de rumar a Espanha, onde jogou no Levante entre 2017 e 2019. França é o próximo destino da portuguesa e logo num conjunto onde joga, entre outras estrelas, Ada Hegerberg, norueguesa que foi distinguida com a Bola de Ouro em 2018 e que foi também protagonista pela ausência no Mundial.

A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira pelo próprio presidente do Lyon, Jean-Michel Aulas, na apresentação do novo técnico, Jean-Luc Vasseur. Entre as quatro jogadoras que chegarão para a próxima temporada, o grande destaque acaba por ser Nikita Parris, avançada internacional inglesa que jogava no Manchester City para onde se transferiu também este defeso Matilde Fidalgo, lateral internacional portuguesa que tem a curiosidade de encontrar no clube o primo Bernardo Silva.

Aos 24 anos, a jogadora chega ao topo do futebol feminino (além de ser tetracampeão europeu, o Lyon vence o título francês há 13 temporadas consecutivas) depois de ter corrido mundo no ano passado com o vídeo de uma finta: no Portugal-Bélgica, na qualificação para o Campeonato do Mundo, um lance de génio de Jéssica Silva na linha de fundo originou uma grande penalidade em período de descontos que permitiu o empate ao conjunto nacional por Dolores Silva.

Além de Jéssica Silva e Matilde Fidalgo, já existem outras internacionais portuguesas em algumas das melhores equipas europeias, casos de Cláudia Neto (ou CN7, que depois de vários anos em Espanha e na Suécia assinou pelo Wolfsburgo em 2017), Ana Leite (que após vários anos na Alemanha foi campeã nacional no Sporting e voltou ao Bayer Leverkusen), Mónica Mendes (teve experiências nos Estados Unidos, no Chipre e na Suíça antes de chegar a Itália, onde jogou em 2018/19 no AC Milan) ou Dolores Silva (jogou alguns anos na Alemanha, passou pelo Sp. Braga e foi campeã esta temporada pelo Atl. Madrid).