O Sindicato dos Transportes Fluviais e Costeiros, que representa os mestres da Soflusa, entregou um pré-aviso de greve de 24 horas para os dia 8, 9 e 10 de julho, noticia a Renascença. O anúncio surge poucos dias depois de a Soflusa ter confirmado que os sindicatos de trabalhadores desconvocaram as greves que estavam previstas para esta semana.

Segundo o mesmo órgão, os mestres afirmam que estão “ofendidos e revoltados” com o Governo e administração da Transtejo/Soflusa na sequência da suspensão do prémio de chefia de 60 euros. Este prémio tinha sido negociado com o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes.

No dia 17, a administração da empresa e os sindicatos assinaram um protocolo que vai servir de base para as negociações de todas as partes. As negociações começam no dia 28 de junho. O objetivo é rever o acordo de empresa para 2030, abrangendo todos os trabalhadores e não apenas os mestres das embarcações.

Os trabalhadores da Soflusa e Transtejo tinham anunciado as greves como forma de protesto contra os prémios recebidos pelos mestres da Soflusa. Marinheiros, chefes de máquina, oficiais de reparações e auxiliares de terra da Soflusa mostraram o seu descontentamento face à atribuição de um prémio aos mestres da empresa. Falaram em “desarmonia salarial”.