Rádio Observador

Hospital de Santa Maria

Doente morre após queda da cama no Hospital de Santa Maria

401

Poucos dias depois da morte de Ruben de Carvalho, um doente do Hospital de Santa Maria voltou a cair e morreu. Centro Hospitalar Lisboa Norte diz que caso está a ser analisado internamente.

O caso ocorreu no início da semana passada no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, poucos dias depois de o histórico dirigente comunista Ruben de Carvalho ter morrido no mesmo hospital na sequência de uma queda. Agora, segundo avança o jornal Sol, o mesmo aconteceu a um doente internado no serviço de pneumologia daquele hospital, que morreu depois de uma queda durante a noite.

Segundo o Sol, o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte confirmou a ocorrência e adiantou que o caso está a ser alvo de uma investigação interna: “Tendo presente e assumindo com preocupação que a ocorrência de quedas representa um importante elemento de risco identificado em ambiente hospitalar, o Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte tem implementado um sistema de monitorização e notificação de incidentes adversos em contexto clínico, nomeadamente as quedas.” Mais: “O caso em apreço foi objeto de notificação neste âmbito e está em processo de análise.”

Uma avaliação preliminar do caso da semana passada, contudo, indica que a queda terá ocorrido apesar de verificados todos os procedimentos de segurança, defende fonte hospitalar citada pelo mesmo jornal.

Segundo dados da Direção-Geral da Saúde, as quedas são o incidente hospitalar mais reportado. Entre 2015 e 2017 registaram-se 22.799 casos de queda, de um total de 47.090 incidentes – que incluem indicadores como erros de medicação, úlceras de pressão, identificação do doente e cirurgia segura.

Ruben de Carvalho morreu no dia 11 de junho, tendo entrado em coma após uma queda quando estava internado no Hospital de Santa Maria. Na sequência da morte, o Ministério Público abriu uma investigação para apurar se houve negligência durante o internamento do histórico dirigente comunista: “Confirma-se a existência de um inquérito dirigido pelo Ministério Público do DIAP de Lisboa. Não tem arguidos constituídos”, respondeu ao Observador fonte oficial da Procuradoria-Geral da República.

Entretanto, depois de o Observador ter publicado aquela notícia, o hospital de Santa Maria abriu uma investigação interna à situação. “Atendendo às notícias que vieram a público, decidiu o Conselho de Administração abrir um processo de inquérito”, disse ao Observador o porta-voz do hospital, recusando acrescentar mais informações ou comentar o processo que corre no Ministério Público.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)