Rádio Observador

Facebook

“Pelo menos este já está num saco do lixo”. Grupo da guarda fronteiriça dos EUA no Facebook sob investigação

Num grupo fechado no Facebook, antigos e atuais membros da guarda fronteiriça dos EUA difundiram conteúdos sexistas e xenófobo. O caso está sob investigação.

Getty Images

A guarda fronteiriça norte-americana abriu uma investigação a um grupo secreto, na rede social Facebook, onde estão cerca de 9.500 atuais e antigos membros do organismo — o US Customs and Border Patrol (US CBP) — e onde foram partilhados conteúdos com teor sexista e xenóbofo, incluindo imagens falsas onde Donald Trump aparece a abusar sexualmente da congressista democrata Alexandria Ocasio-Cortez. A US CBP garante que os responsáveis serão responsabilizados.

A investigação do ProPublica, uma organização jornalística sem fins lucrativos que investiga abusos de poder, conseguiu entrar neste grupo fechado na rede social, que se chama “I’m 10-15” e existe há três anos. Uma vez podendo aceder aos conteúdos lá publicados, o ProPublica encontrou, por exemplo, a partilha de uma notícia sobre um pai que atravessa um rio com o filho dentro de um saco de plástico — entre os comentários surgia alguém satisfeito porque “pelo menos este já está num saco do lixo”.

Além dos migrantes ilegais, um alvo preferencial dos conteúdos publicados nesta página são a congressista democrata Alexandria Ocasio-Cortez, de ascendência latino-americana, que aparece em várias imagens falsas a ser abusada sexualmente por Donald Trump. Além disso, perante a partilha de uma notícia sobre uma visita da congressista às instalações da guarda fronteiriça, alguém desafiou os outros convivas a interromper o seu discurso atirando-lhe um “burrito“, um tipo de comida com origens na cozinha mexicana.

“Isto não é apenas uma questão de algumas maçãs podres. É uma cultura de violência”, lamentou a congressista democrata no Twitter.

Na mesma página, questiona-se, também, a autenticidade da foto do pai e filha, mortos, na margem do rio, porque o internauta nunca tinha visto uns “flutuadores tão limpinhos”.

O US CBP reconheceu que lhe chegou a informação difundida pelo ProPublica, sobre “atividade perturbadora em redes sociais, num grupo privado que poderá incluir vários funcionários do CBP”, comentou um porta-voz da guarda fronteiriça.

A diretora do serviço, Carla Provost, também comentou a notícia argumentando que estas publicações, mesmo tendo sido feitas num grupo fechado, “são completamente inapropriados e contrários à honra e integridade que vejo — e exijo — dos nossos agentes”. Em comunicado, Carla Provost garantiu que “quaisquer funcionários que tenham violado os nossos padrões de conduta serão responsabilizados”.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: ecaetano@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)