Rádio Observador

Benfica

Em 2018 estava no Real Massamá, agora tornou-se o terceiro reforço mais caro de sempre: Carlos Vinicius no Benfica

300

Benfica confirmou oficialmente contratação de Carlos Vinicius por 17 milhões de euros ao Nápoles. Avançado que jogava em 2018 no Real Massamá passa a ser a terceira maior aquisição das águias.

Carlos Vinicius terminou a última temporada do Mónaco, depois de ter estado seis meses no Rio Ave por empréstimo do Nápoles

AFP/Getty Images

Passou por duas das melhores escolas do futebol brasileiro, chegou a Portugal via Segunda Liga através do Real Massamá em 2018, teve três clubes no último ano e torna-se agora a terceira contratação mais cara de sempre do Benfica: Carlos Vinicius, avançado de 24 anos que tinha contrato com o Nápoles, foi oficialmente confirmado como reforço dos encarnados.

“A Sport Lisboa e Benfica – Futebol, SAD informa, nos termos e para o efeito do disposto no artigo 248.º-A do Código dos Valores Mobiliários, que adquiriu a totalidade dos direitos do jogador Carlos Vinicius Alves Morais pelo montante de € 17.000.000 (dezassete milhões de euros) à Società Sportiva Calcio Napoli S.p.A.. Mais se informa que foi celebrado com o referido jogador um contrato de trabalho desportivo por 5 (cinco) épocas desportivas, ou seja, até 30 de junho de 2024, o qual inclui uma cláusula de rescisão no valor de € 100.000.000 (cento milhões de euros)”, confirmaram as águias à CMVM.

Nascido em Maranhão, Vinicius começou na formação do Santos, passou depois pelo Desportivo Brasil e fez ainda uma época nas camadas jovens do Palmeiras. Nos seniores, após um ano no Caldense e outro no Grémio Anápolis, chegou por empréstimo ao Real Massamá em 2017/18, terminando como um dos melhores jogadores e marcadores da Segunda Liga e despertando interesse de vários clubes portugueses. Ainda assim, e de forma um pouco surpreendente, acabou por assinar pelos italianos do Nápoles, ainda que não se tenha estreado pelos transalpinos: esteve seis meses no Rio Ave e depois outros tantos no Mónaco.

Carlos Vinicius já sabe o que é marcar na Luz, neste caso ainda ao serviço do Rio Ave (Carlos Rodrigues/Getty Images)

“A experiência de já ter passado por alguns clubes é boa para mim, para a minha carreira e agora procuro agregar tudo isso ao Benfica. Eu e a minha família sentimo-nos bem aqui em Portugal, sinto-me à vontade. Agora defendo as cores do Benfica, defendo esta nação e é procurar dar tudo num País que me acolheu muito bem. Tenho tudo para, em conjunto com a Família Benfiquista, sairmos todos felizes”, comentou o avançado brasileiro em declarações ao site oficial do clube.

“Desde a primeira vez que vim ao Estádio da Luz para assistir a um jogo lembro-me que na bancada já se sente esse calor. Também já senti o calor deste inferno quando jogava como adversário, é algo que nos atrai. Fico muito feliz por agora fazer parte deste inferno e não tenho dúvidas de que as coisas vão correr muito bem para todos nós. O meu objetivo, tal como o dos meus companheiros, é conquistar aquilo que o clube traçou”, acrescentou Carlos Vinicius.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: broseiro@observador.pt

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)