Agora que foi reconhecido, pelo tribunal, como filho de Júlio Iglesias, Javier Sánchez quer ter direito à sua parte da herança — 30 milhões de euros — e a uma indemnização por danos morais, noticiou o Correio da Manhã.

Dos 800 milhões estimados da fortuna de Júlio Iglesias, os filhos terão direito a um terço, segundo a legislação espanhola. Javier Sánchez e os restantes oito filhos do cantor terão assim direito a 29,6 milhões de euros. O “novo” filho do artista pode ainda avançar com um pedido de indemnização pelos “danos morais que sofreu e continua a sofrer”, disse o advogado de Javier, Fernando Osuna.

O Tribunal de Primeira Instância número 13 de Valência decidiu que Javier Sánchez é filho de Júlio Iglesias com a portuguesa Maria Edite Santos. Mas a decisão não teve por base testes de paternidade, já que o cantor se recusou a fazê-los. Nem tão pouco a alegada comparação com o ADN de Júlio Iglesias Jr., que terá sido obtida por um detetive privado em Miami.

Mesmo sem aceitar este ADN como prova, o juiz terá considerado, para a decisão final, que “há uma clara semelhança entre pai e filho”, ou seja, entre Iglesias e Sánchez, como referiu o jornal The Guardian. Além disso, “no meu momento da conceção houve uma certa quantidade de contactos entre Maria Edite Santos [mãe de Javier] e Júlio Iglesias, tempo durante o qual não é improvável que tenham tido relações sexuais”.

Este processo de reconhecimento de paternidade teve início em 1991, com o primeiro processo em tribunal, e pode ainda não ter chegado ao fim, visto os advogados de Júlio Iglesias terem recorrido da decisão do tribunal.