Um incêndio com duas frentes ativas está a consumir uma zona de mato em Santiago do Cacém, distrito de Setúbal, confirma a página da Proteção Civil. Às 18h00 o fogo estava a ser combatido por 193 bombeiros, 59 veículos e dois meios aéreos. As chamas, que deflagraram na freguesia do Cercal do Alentejo, começaram às 13h20 de esta segunda-feira numa região próxima a um eucaliptal.

O combate está a ser dificultado pelo vento forte, indicou o Comando Distrital de Operações de Socorro de Setúbal ao Observador, porque está a provocar projeções que expandem a área do incêndio. Mas não há quaisquer áreas habitacionais em perigo, nem há registo de vítimas ou danos materiais.

O concelho de Santiago de Cacém está neste momento debaixo de aviso amarelo por risco de incêndio, recordou o Instituto Português do Mar e da Atmosfera. A temperatura máxima será de 25,7ºC e a humidade relativa estará entre os 53,2% e os 97,8%. Mais do que as temperaturas elevadas, é o vento moderado, que sopra na direção noroeste, que pode representar perigo em caso de incêndio.

Perante estas condições, o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas proibiu a utilização de fogareiros e grelhadores em todo o espaço rural, salvo se usados fora das zonas críticas e nos locais devidamente autorizados para o efeito. Também é proibido lançar balões de mecha acesa e foguetes, assim como não se pode fumigar ou desinfestar em apiários exceto se os fumigadores tiverem dispositivos de retenção de faúlhas.