Rádio Observador

Universidades

Cursos técnicos superiores do Norte podem candidatar-se a financiamento de 13 milhões de euros

Podem candidatar-se a um financiamento global de 13 milhões de euros entidades com cursos nos “domínios de especialização” considerados estratégicos para o Norte.

Para as entidades públicas estão previstos dez milhões de euros. Para as instituições privadas, está prevista a aplicação de três milhões

PAULO NOVAIS/LUSA

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte (CCDR-N) abriu dois concursos de 13 milhões de euros para aplicar em cursos técnicos superiores de saúde, moda, recursos do mar, mobilidade e alimentação ou turismo, foi esta terça-feira divulgado.

Numa nota informativa enviada à Lusa, a CCDR-N explica estar em causa o financiamento comunitário do Norte 2020 para aplicar no ano letivo de 2019/2020 em instituições públicas e privadas com “cursos técnicos superiores profissionais [TeSP]”, uma “formação oferecida recentemente pelos institutos politécnicos e pelas universidades com oferta de formação politécnica”.

De acordo com a CCDR-N, até 18 de setembro podem candidatar-se a um financiamento global de 13 milhões de euros entidades com cursos nos “domínios de especialização” considerados estratégicos para o Norte, nomeadamente Ciências da Vida/Saúde, Criação/Moda, Recursos do Mar ou Indústrias da Mobilidade e Ambiente.

A estas, somam-se as áreas dos Sistemas Avançados de Produção, Sistemas Agroambientais e Alimentação e Serviços do Turismo, de acordo com documentos a que a Lusa teve acesso.

A dotação prevista para as entidades públicas é de dez milhões de euros, ao passo que, para as instituições privadas, está prevista a aplicação de três milhões de euros.

Em ambos os avisos é referido que a autoridade de gestão – a CCDR-N – pode “reforçar a dotação” prevista, “caso se justifique”.

As entidades beneficiárias deste investimento são instituições de Ensino Superior Politécnico público, unidades orgânicas do ensino superior politécnico integradas em instituições de ensino superior universitário público e instituições de ensino superior politécnico privado, esclarece a CCDR-N.

Os 13 milhões de euros previstos nestes dois avisos juntam-se ao “financiamento de perto de 17 milhões de euros já atribuído pelo Norte 2020 a instituições da Região do Norte, em anos letivos anteriores”, destaca a CCDR-N.

O investimento diz respeito a cursos TeSP que “respondam a necessidades do mercado de trabalho, em especial às carências identificadas ou às áreas prioritárias da Estratégia Regional de Especialização Inteligente, um documento que identifica quais as áreas em que o Norte de Portugal tem maior potencial de crescimento”.

Desde 2015, o financiamento de cursos TeSP pelo Norte 2020 abrangeu entidades como o Instituto Politécnico do Porto, com mais de 1,2 milhões de euros, ou o de Bragança, no distrito de Vila Real, com três candidaturas aprovadas num valor total superior a 5,7 milhões de euros. Da lista de aprovações a que a Lusa teve acesso faz ainda parte o Instituto Politécnico do Cávado e do Ave, com um financiamento superior a 4,8 milhões de euros.

O NORTE 2020 (Programa Operacional Regional do Norte 2014/2020) é um instrumento financeiro com uma dotação de 3,4 mil milhões de euros de apoio ao desenvolvimento regional do Norte de Portugal. Está integrado no Acordo de Parceria PORTUGAL 2020 e tem como Autoridade de Gestão a CCDR-N.

Não queremos ser todos iguais, pois não?

Maio de 2014, nasceu o Observador. Junho de 2019, nasceu a Rádio Observador.

Há cinco anos poucos acreditavam que era possível criar um novo jornal de qualidade em Portugal, ainda por cima só online. Foi possível. Agora chegou a vez da rádio, de novo construída em moldes que rompem com as rotinas e os hábitos estabelecidos.

Nestes anos o caminho do Observador foi feito sem compromissos. Nunca sacrificámos a procura do máximo rigor no nosso jornalismo, tal como nunca abdicámos de uma feroz independência, sem concessões. Ao mesmo tempo não fomos na onda – o Observador quis ser diferente dos outros órgãos de informação, porque não queremos ser todos iguais, nem pensar todos da mesma maneira, pois não?

Fizemos este caminho passo a passo, contando com os nossos leitores, que todos os meses são mais. E, desde há pouco mais de um ano, com os leitores que são também nossos assinantes. Cada novo passo que damos depende deles, pelo que não temos outra forma de o dizer – se é leitor do Observador, se gosta do Observador, se sente falta do Observador, se acha que o Observador é necessário para que mais ar fresco circule no espaço público da nossa democracia, então dê o pequeno passo de fazer uma assinatura.

Não custa nada – ou custa muito pouco. É só escolher a modalidade de assinaturas Premium que mais lhe convier.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
Politicamente Correto

Os filhos do Vasco Granja /premium

Helena Matos
906

O reitor proibiu a carne de vaca. Os alunos se pudessem proibiam toda a carne. Em Portugal, eles são os filhos e netos do Vasco Granja. Gerações que, entre muita animação, estão a impor uma ditadura.

Universidade de Coimbra

Coimbra: Especulações sobre um bife

Ricardo Pinheiro Alves
628

Porque é que uma instituição veneranda e centenária, criada em Lisboa em 1290 pelo Rei D. Dinis, abandona o reino do saber para entrar no activismo demagógico em que a ciência dá lugar ao marketing?

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)