Rádio Observador

Siza Vieira

Arquiteto Siza Vieira com pavilhão sobre o seu trabalho na Feira de Mobiliário de Xangai

158

O arquitecto português Álvaro Siza Vieira vai ter um pavilhão dedicado ao seu trabalho na Feira Internacional de Mobiliário da China, em Xangai.

No Fórum, os participantes vão debater o design urbano sustentável

JOSÉ COELHO/LUSA

Autor
  • Agência Lusa

O arquiteto português Álvaro Siza Vieira vai ter um pavilhão próprio na Feira Internacional de Mobiliário da China (CIFF, sigla em inglês), que abre a 8 de setembro, em Xangai, anunciou esta quinta-feira a Direção-Geral das Artes (DGArtes).

Trata-se da 44.ª edição da China International Furniture Fair, dedicada ao mobiliário interior e exterior, decoração e têxteis, materiais e maquinaria, organizada pela China Trade Macalline Exhibition, decorrendo até 11 de setembro.

Entre os cerca de 1.500 expositores ficará o Pavilhão Siza, dedicado ao trabalho do arquiteto português, convidado a participar nesta feira e no Fórum Internacional de Design de Arquitetura dedicado ao tema “Desenhado por Humanos: Do Modernismo de Álvaro Siza ao Futuro Digital”.

O Pavilhão Siza é uma estrutura pré-fabricada, foi construído na China, e será remontado e instalado para uso interno da CIFF, segundo a organização.

De acordo com informação do sítio online da DGArtes, o arquiteto português foi escolhido para este projeto pela sua “posição humanista, a sua ligação com os princípios da escola de arquitetura Bauhaus, o seu espírito independente e a sua forte relação com a China”.

Em conjunto com o arquiteto Carlos Castanheira, o Prémio Pritzker Álvaro Siza desenhou em 2014 o “Edifício sobre a Água”, que faz parte do complexo fabril Shihlien Chemical, na cidade de Huai’An, província de Jiangsu, na China.

No Fórum, os participantes vão debater o design urbano sustentável a par dos novos desafios da era digital e o diálogo Leste-Oeste na arquitetura.

Em fevereiro de 2019, Álvaro Siza aceitou o convite da organização da feira para criar o pavilhão, sob curadoria de Hans-Jürgen Commerell e Kristin Feireiss.

O pavilhão foi criado com a coordenação do arquiteto de ligação chinês Zhang Ke, e a consultoria do arquiteto português António Choupina. Os desenhos finais foram entregues por Álvaro Siza e pela sua equipa em junho de 2019.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: observador@observador.pt
História

O azar do museu Salazar /premium

P. Gonçalo Portocarrero de Almada

A ignorância e o fanatismo, que estão na origem dos totalitarismos, combatem-se com a verdade e o conhecimento. A ditadura não se vence com a ignorância, mas com a ciência.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)