Rádio Observador

Celebridades

Brad Pitt passou ano e meio nos Alcoólicos Anónimos depois de se ter divorciado de Angelina Jolie

345

Brad Pitt confessou ter entrado para os Alcoólicos Anónimos depois do divórcio de Angelina Jolie, em 2016. Ao fim de um ano e meio de tratamento, está sóbrio. E deve-o aos colegas do grupo.

Segundo James Gray, realizador de "Ad Astra", o problema de alcoolismo de Brad Pitt teve impacto na sua vida profissional

Mondadori Portfolio via Getty Im

Brad Pitt passou um ano e meio nos Alcoólicos Anónimos a batalhar contra os vícios após se ter divorciado da atriz Angelina Jolie em 2016. A confissão veio do próprio ator norte-americano numa entrevista ao The New York Times por ocasião da estreia do filme “Ad Astra”: “Estava a lidar com muitas assuntos de família.  Vamos dizer assim. O facto é que todos carregamos dor, tristeza e perda. Passamos a maior parte do tempo a esconder isso, mas está lá, está em nós. Então, abrimo-nos”, explicou.

Quando o divórcio entre Brad Pitt e Angelina Jolie chegou às manchetes da imprensa cor de rosa, especulou-se que a separação tinha surgido durante uma discussão entre o casal num avião privado. E que o motivo dessa discussão era o alcoolismo do ator. Brad Pitt não esclarece ao The New York Times se esse foi o principal motivo da separação do casal, mas confirmou que foi depois disso que entrou nos Alcoólicos Anónimos: “Tinha levado as coisas longe demais”, afirma.

Para o ator, o grupo de homens que o acompanhou nas sessões foi uma parte importante da reabilitação: “Tinha todos aqueles homens sentados, a serem abertos e honestos de uma forma que nunca tinha ouvido em lado nenhum. Era um lugar seguro onde não havia julgamentos uns dos outros. E, portanto, não havia julgamentos contra nós próprios”, explica Brad Pitt.

Nenhum dos elementos daquele grupo de terapia onde se incluía Brad Pitt vendeu a história do ator à imprensa. E isso, explica o artista ao The New York Times, foi um ensinamento sobre confiança: “Foi realmente muito libertador apenas expor os meus piores lados. Há um grande valor nisso”.

Segundo James Gray, realizador de “Ad Astra”, o problema de alcoolismo de Brad Pitt teve impacto na sua vida profissional. O artista, que já tinha trabalhado com o ator em “Moonlight”, acredita que Brad Pitt “definitivamente usou os estímulos da sua vida” para construir a personagem Roy McBride: “Não me familiarizei com ele sobre isso. Não acho que seja da minha conta ou mesmo do meu trabalho, mas ele investigou a essência da personagem através de si mesmo”.

Partilhe
Comente
Sugira
Proponha uma correção, sugira uma pista: mlferreira@observador.pt
Trabalho

Ficção coletiva, diz Nadim /premium

Laurinda Alves

Começar reuniões a horas e aprender a dizer mais coisas em menos minutos é uma estratégia que permite inverter a tendência atual para ficarmos mais tempo do que é preciso no local de trabalho.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

1
Registo
2
Pagamento
Sucesso

Detalhes da assinatura

Esta assinatura permite o acesso ilimitado a todos os artigos do Observador na Web e nas Apps. Os assinantes podem aceder aos artigos Premium utilizando até 3 dispositivos por utilizador.

Só mais um passo

Confirme a sua conta

Para completar o seu registo, confirme a sua conta clicando no link do email que acabámos de lhe enviar. (Pode fechar esta janela.)