Apesar de serem tradicionalmente o elemento mais fraco em qualquer acidente que envolva motos e carros, os motociclistas nem sempre guardam a aconselhável margem de segurança, expondo-se a riscos exagerados e… dolorosos. Neste caso, registado pela câmara de um automóvel que seguia atrás do motard “atrevido”, só uma dose garrafal de sorte não arrastou para a morte condutor e pendura, que ainda assim devem ter apanhado o susto das suas vidas. Que esteve quase a ser o derradeiro.

Em resumo, um condutor que viajava com pendura numa moto equipada com um conjunto de três malas, o que aconselharia a maior prudência nas ultrapassagens, decidiu começar por ultrapassar o automóvel que transportava a câmara, apesar do traço contínuo que o deveria ter impedido de realizar a manobra. Depois, o motard decidiu repetir a manobra com uma rulote puxada por um veículo, que não só ocupava toda a faixa de rodagem, como balanceava perigosamente. De repente, surgiram dois veículos lado a lado, em sentido contrário, e o embate foi inevitável.

O carro que lhe apareceu à frente, um Suzuki Vitara, conseguiu evitar um embate frontal, mas o toque foi o suficiente para lhe “limpar” uma das malas laterais e desequilibrar a moto, que depois atirou condutor e passageiro pelo ar. No final, acabou por ser um pequeno preço a pagar – uns riscos na moto, nas malas e no ego, além de umas nódoas negras – por um acidente que tinha tudo para correr muito mal, por manifesta falta de cuidado ou de paciência.