Isabel é o nome de um restaurante em Mayfair, a cinco minutos da preciosa Bond Street. Foi lá que Ana Teixeira de Sousa, fundadora e criativa da marca Sophia Kah, reuniu clientes, amigos e jornalistas para apresentar a coleção do próximo verão. Luminoso, alcatifado, com mesas simetricamente dispostas, todas elas com tampo de mármore, pequenos sofás e um bar ao centro — Ana escolheu Isabel a dedo. Afinal, é o pequeno-almoço de domingo, não se pode arrancar ninguém de casa sem que valha mesmo a pena.

A responsabilidade pesou sobre os ombros da empresária, contudo, pelas 10h30, já o restaurante provava do clima de festa, e sem recurso mimosas nem a álcool de nenhuma espécie. Aliás, bem antes disso, tinha já começado um outro tipo de desfile, o das convidadas. De saltos altos, mangas em renda, vestidos em cores gulosas e maquilhagem impecável, eram a amostra perfeita do que a marca portuguesa tem para oferecer. As mesmas silhuetas clássicas e os mesmos detalhes românticos, ali, aplicados à vida real.

Sophia Kah primavera-verão 2020 © Dulce Daniel

Entre croissants, pain au chocolat e uns goles de cappuccino, entra na sala a primeira manequim. O silêncio, por muito pegada que estivesse a conversa à mesa, foi obrigatório. Entra um vestido branco longo, decotado e com bordados portugueses. Era Sophia Kah a abrir os olhos ao sol, depois de a termos conhecido a desenhar, sobretudo, peças para usar à noite. “A minha ideia foi criar um guarda-roupa para passar férias. Continua a ser muito elegante, sofisticado e feminino, mas muito mais voltado para o dia. Acho realmente interessante e os clientes pedem-me muito”, afirma Ana Teixeira de Sousa ao Observador.

Mas estas não são umas férias quaisquer. Ana inspirou-se num dos mais paradisíacos destinos portugueses, a Comporta. A influência tornou-se especialmente flagrante quando surgiu um vestido estampado. Nele, saltam à vista os cavalos e os arrozais, dois marcos indeléveis da paisagem da região. Desenhado à mão, o padrão cobriu o vestido e o vestido deixou bem claro que a criadora também optou por materiais mais leves. O algodão e o linho predominaram, numa coleção inteiramente confecionada em Portugal. Nos coordenados, os saltos altos deram lugar a sandálias rasas e arejadas. Sem a solenidade de outros desfiles, as manequins trouxeram consigo um acessório chave, um chapéu de palha de aba larga, com uma fita.

Sophia Kah primavera-verão 2020 © Dulce Daniel

Há um ano, Sophia Kah desfilava pela primeira vez em Londres. Já nessa altura, trazia uma carteira de clientes bem recheada, com Beyoncé a encabeçar uma lista que contém ainda nomes como Sarah Jessica Parker, Kerry Washington, Keira Knightley, Florence Welsh, Olivia Palermo, Kylie Minogue e a princesa Beatrice. O futuro tem tudo para ser promissor, mesmo quando se escolhe tomar um pequeno-almoço num bairro pacato de Londres em detrimento de pisar uma passerelle ampla e bem iluminada. Os croissants estavam no ponto, o açaí podia ter vindo para a mesa um pouco mais fresco. De lamentar foi também a curta seleção de peças apresentada pela marca. Teríamos visto mais, sobretudo para poder ver algumas das criações mais contextualizadas. Resta-nos esperar por outubro, altura em que Ana Teixeira de Sousa levará o seu guarda-roupa de férias até ao Porto.

Na fotogaleria, veja todos os looks do desfile de Sophia Kah, este domingo, dia 14 de setembro, em Londres. Na mesma cidade, estão outros criativos portugueses a dar nas vistas. Até ao próximo domingo, sete projetos nacionais integram uma loja pop-up, no centro da capital britânica, exclusivamente dedicada ao design sustentável. Marita Moreno, Musgo Design, Benedita Formosinho, Jinja, Vintage for a cause, Fiu – Suspended Gardens e Ablesia integram a plataforma Pause Fashion Hub, a decorrer em paralelo com a Semana da Moda de Londres. A próxima paragem da moda portuguesa é em Milão, onde Alexandra Moura apresenta a sua coleção para a próxima estação quente, a 23 de setembro.

O Observador viajou para Londres a convite do Portugal Fashion.