Há várias justificações para comprar online, desde o factor novidade, uma vez que os sites disponibilizam determinados produtos antes de eles chegarem ao mercado pelos canais regulares, passando pela comodidade e, sobretudo, o preço, pois na maioria das vezes é mais barato adquirir através da Internet do que nas lojas físicas. Porém, nem sempre o negócio é tão bom quanto parece.

Um estudo realizado na Austrália, pela associação local da indústria automóvel, analisou à lupa as velas de ignição para veículos com motor a gasolina, disponíveis através de sites especializados em peças para automóveis. E a conclusão é que 60% são contrafeitas, isto é, falsificadas.

Segundo os investigadores, é praticamente impossível distinguir as velas falsificadas das originais, se a atenção incidir apenas no exterior. Mas as diferenças tornam-se óbvias assim que se cortam ambas ao meio, analisando os materiais utilizados na sua construção, dos quais em último caso depende a eficiência da própria vela.

Uma análise mais apurada revelou que as velas adquiridas online recorrem a materiais de pior qualidade ou em menor quantidade do que as originais. Isto leva a que os motores onde são montadas tenham ignições diferentes daquelas para as quais foram concebidos, piorando os consumos, emissões e rendimento, ou seja, menos potência e força.

A organização não revelou os sites que comercializam velas contrafeitas, mas como nenhum deles as produz, é possível deduzir que todas terão a mesma origem. Mais grave do que isto, este mau resultado leva a pensar que o mesmo poderá acontecer com outras peças automóvel, que não apenas velas, dos amortecedores aos filtros de ar e dos aditivos às pastilhas de travão.