O Koenigsegg Regera é um “avião”, pois não só possui mais de 1.500 cv, como é ultra sofisticado tecnologicamente, assumindo-se como um híbrido que recorre a três motores eléctricos para conseguir dispensar a caixa de velocidades. O Regera provou a sua brutal capacidade de aceleração e travagem ao bater o Bugatti Chiron, na aceleração de 0-400 km/h, seguida de travagem até 0 km/h, o que é um cartão-de-visita muito respeitável. Mas o construtor sueco pode ter estragado tudo, ao tornar público (e com som) o vídeo desse recorde.

Os amantes de hiperdesportivos já nutriam pelo Regera um respeito sem limites, pois não é fácil para um pequeno fabricante independente conseguir bater um monstro como a Bugatti, marca que tem a suportá-la o Grupo Volkswagen, que nos últimos anos foi sistematicamente o maior construtor do mundo. E o modelo nórdico não bateu o Chiron por milagre ou manifesto azar da marca francesa. Fê-lo porque a tecnologia que a Koenigsegg emprega é impressionante.

O Regera está equipado com um potente motor 5.0 V8 biturbo a gasolina, mas quem o eleva até aos 1.500 cv são os três motores eléctricos, que associam a sua potência ao motor de combustão, um em cada roda traseira com 245 cv e um terceiro acoplado ao V8, com 218 cv, que tanto entrega potência como gera energia. Como se tudo isto não bastasse, em matéria de sofisticação, a marca sueca usa ainda os três motores eléctricos, alimentados através de uma pequena bateria, para não necessitar de caixa de velocidades, recorrendo apenas a uma mudança, uma espécie de transmissão directa que dispensa a caixa e a embraiagem convencional, tornando a complexa unidade motriz mais eficiente. Este complexo sistema, denominado Koenigsegg Direct Drive, foi concebido e produzido pelo fabricante sueco.

E numa fase em que todos os apaixonados por este tipo de veículos se “babavam” só de pensar no Regera, eis que a própria Koenigsegg libertou um vídeo em que mostra como é que se consegue bater o Bugatti Chiron nos 0-400-0 km/h. A capacidade de aceleração é brutal e a facilidade com que chega aos 400 km/h é impressionante. Tanto quanto a capacidade de travagem que o traz de novo até aos 0 km/h. Mas há um pormenor que pode perturbar quem gosta de desportivos deste calibre.

Na gravação, é possível ouvir o ruído do motor, com o imponente V8 biturbo com 1.115 cv a funcionar de forma… ridícula. Como a única mudança que o Regera possui é bastante comprida, o equivalente a uma 6ª ou 7ª, são os motores eléctricos que ajudam o V8 a gasolina a ter a força suficiente a baixa velocidade, na fase inicial do arranque. Isto significa que o roncar puro e duro que esperávamos ouvir, de um V8 a subir de regime até às 7.800 rpm sempre que se passava de caixa, não existe neste caso. Apenas um motor de combustão que (erradamente) não parece ter garra nem alma, mais parecendo ser um motor qualquer acoplado a uma caixa CVT, de variação contínua. Talvez nem todos os “segredos” devam ser partilhados, para manter a magia…