O Presidente moçambicano, Filipe Nyusi, inaugurou esta segunda-feira um novo porto de pesca da cidade da Beira, no centro de Moçambique, uma infraestrutura com capacidade para processar 70 mil toneladas anuais de pescado.

“A cadeia de valores, como a captura, conservação, processamento e comercialização, ganha aqui o seu verdadeiro sentido”, disse o chefe de Estado moçambicano, durante a inauguração do porto de pesca.

O porto é um dos mais modernos da região austral de África, tem capacidade de acostagem de 16 embarcações industriais, o dobro da capacidade existente e dispõe ainda de seis câmaras frigoríficas para 1500 toneladas de gelo, segundo a direção da infraestrutura.

Para o Presidente moçambicano, o novo equipamento vai “concorrer para que haja pescado em abundância, para além do aumento das exportações”. Os mercados preferenciais para exportação do produto pesqueiro incluem Portugal, Espanha, Alemanha e alguns países africanos.

As obras de ampliação e reconstrução custaram 120 milhões de dólares (108 milhões de euros) e estiveram a cargo de uma empresa chinesa e têm funcionando em regime experimental durante o último ano. De acordo com a direção, investidores espanhóis, chineses e das ilhas Maurícias já mostraram interesse na gestão do empreendimento, aguardando-se que o Ministério do Mar, Águas Interiores e Pesca faça o lançamento do concurso público internacional.

O funcionamento do porto vai permitir a internacionalização do atum de Sofala, que é transportado por via rodoviária para a África do Sul e ainda por via marítima para os EUA, Japão, Espanha e Portugal.