458kWh poupados com o Logótipo da MEO Energia Logótipo da MEO Energia
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Logótipo da MEO Energia

Adere à Fibra do MEO com a máxima velocidade desde 29.99/mês aqui.

Pentágono divulga vídeo da operação que matou al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico

Este artigo tem mais de 2 anos

Imagens de drone mostram que americanos lançaram explosões nas vizinhanças do esconderijo de al-Baghdadi antes de invadirem a casa. Depois, destruíram o complexo.

Estas são as primeiras imagens do ataque que resultou na morte do líder do Estado Islâmico
i

Estas são as primeiras imagens do ataque que resultou na morte do líder do Estado Islâmico

Pentágono

Estas são as primeiras imagens do ataque que resultou na morte do líder do Estado Islâmico

Pentágono

Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Um vídeo divulgado esta sexta-feira pelo Pentágono mostra pela primeira vez imagens, captadas por um drone, da operação que resultou na morte de Abu Bakr al-Baghdadi, o líder do Estado Islâmico. O vídeo foi publicado pela Fox News, que afirma que as imagens mostram “a rusga e a destruição do complexo do líder do Estado Islâmico na região norte da Síria”. Veja-as aqui em baixo.

As imagens começam com uma série de explosões nas vizinhanças do complexo onde Abu Bakr al-Baghdadi estaria. As explosões parecem atingir um grupo de dez pessoas que se aproximava da casa. Mais tarde, nove militares norte-americanos são filmados a entrarem no complexo para capturar o líder do Estado Islâmico. Após longos minutos de pausa em que a imagem fica congelada, uma explosão destrói o esconderijo de al-Baghdadi.

No discurso em que anunciou a morte do terrorista mais procurado do mundo, Donald Trump afirmou que a operação estava a ser preparada “há duas semanas”, desde o momento em que os Estados Unidos conseguiram localizar al-Baghdadi. Os norte-americanos terão contado com a ajuda de “algumas pessoas brilhantes”, disse o presidente norte-americano, embora não as identifique.

“Nós tínhamo-lo debaixo de olho. Pensávamos que ele estava numa certa localização. E estava. As coisas começaram a parecer muito bem. Estivemos envolvidos, dentro da nossa equipa, com pessoas brilhantes que tive a oportunidade de conhecer. São pessoas brilhantes que adoram o nosso país, pessoas altamente inteligentes. E nós já o tínhamos debaixo de olho há um par de semanas”, descreveu Donald Trump.

“Tínhamos informação muito boa que nos dizia que ele ia mudar de localização. Não mudou”, referiu Donald Trump. Foi quando perceberam que Abu Bakr al-Baghdadi ia mesmo ficar naquele complexo que as tropas norte-americanas decidiram avançar.

Afinal, como é que al-Baghdadi foi encontrado? As várias versões de uma história com o mesmo final

Novas informações libertadas esta terça-feira afirmam que os Estados Unidos contaram com a ajuda de um espião. Os curdos sírios terão conseguido colocar um espião no círculo interno do líder do Estado Islâmico, que terá roubado uma peça de roupa interior de al-Baghdadi para permitir a sua identificação e, de seguida, encaminhou os Estados Unidos para o esconderijo.

Polat Can, um responsável das Forças Democráticas Sírias (FDS), publicou esta segunda-feira uma série de tweets com detalhes do trabalho que terá sido feito pelos curdos sírios e que levou a uma rusga dos Estados Unidos ao local onde o líder do Estado Islâmico se encontrava. “Desde o dia 15 de maio que temos vindo a trabalhar juntamente com a CIA para localizar al-Baghdadi e monitorizá-lo de perto”, começou por explicar, acrescentando que al-Baghdadi “mudava de residência várias vezes”.

“A nossa própria fonte, que conseguiu chegar a al-Baghdadi, trouxe roupa interior de al-Baghdadi para realizar um teste de ADN e garantir (a 100%) que a pessoa em questão era o próprio al-Baghdadi“, escreveu ainda Polat Can no Twitter.

Curdos sírios dizem ter roubado roupa interior de al-Baghdadi para garantir a sua identidade

A página está a demorar muito tempo.

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Este artigo só pode ser lido por um utilizador registado com o mesmo endereço de email que recebeu esta oferta.
Para conseguir ler o artigo inicie sessão com o endereço de email correto.