A Fenprof anunciou esta quinta-feira, em comunicado, a intenção de apresentar em tribunal ações contra o Estado português, que acusa de “inoperêancia”, “por incumprimento da legislação em vigor” no que diz respeito à retirada de materiais com amianto das escolas onde eles ainda existem.

De acordo com o comunicado, deverão ser apresentadas ações em nome de todos os professores que dão aulas em escolas onde ainda existe amianto. Em causa está o aumento das “possibilidades de os profissionais serem vítimas de doenças do foro oncológico”.

Para além disso, a federação sindical de professores anunciou ainda que vai apresentar queixa junto da Comissão Europeia contra o Estado português “por indevida transposição da diretiva comunitária que impõe medidas para sinalização, monitorização e remoção de amianto”.