É uma característica. Um ponto forte. No limite, como já se viu e ouviu, um dom: Jorge Jesus consegue mexer com as rotinas, com a cabeça e com a mentalidade de qualquer jogador, dirigente ou responsável do Flamengo. Aliás, nem Zico, a maior glória do clube do Rio de Janeiro, fugiu a essa regra que funciona como base para o sucesso do técnico português desde que chegou ao futebol brasileiro e começou a acordar de madrugada para assistir aos jogos do anterior clube em Kashima, onde é diretor técnico da equipa da cidade japonesa (Antlers).

“Acordo de madrugada para ver o Flamengo porque sei que vou ver um bom futebol e jogadores a entregarem-se de corpo e alma. Acho que a grande vantagem do Jorge Jesus foi mostrar-lhes o que é o Flamengo, como se deve jogar no Flamengo. E trouxe a torcida de volta. A torcida tem uma empatia muito grande com a equipa e está a ser fundamental. Todos os jogos com 50 ou 60 mil pessoas e os jogadores a darem conta do recado. Isso deixa as pessoas felizes, o que sempre sonhámos foi o Flamengo a jogar um futebol deste nível”, comentou numa declaração gravada para a Bola TV. Este domingo, Zico acordou às quatro da manhã. E valeu a pena.

O encontro não foi propriamente fácil até ao intervalo, teve muitas conversas e “duras” (o termo mais simpático para aqueles raspanetes de braços no ar de Jesus aos jogadores), mas terminou com o habitual “olê mister” e até beijinhos, como o que Vitinho recebeu quando marcou depois de sair do banco. O Maracanã está rendido ao técnico português, os adversários rendem-se ao Flamengo e o Corinthians foi exceção: depois de uma boa réplica na primeira metade da partida, o líder do Campeonato brasileiro acabou a golear por 4-1.

Na ausência de Gabigol, Bruno Henrique voltou a ser o herói do Mengão e em minutos anormais mas que mostram bem a capacidade do conjunto liderado por Jorge Jesus: após ter inaugurado o marcador de grande penalidade aos 45+1′, o avançado aumentou a vantagem ainda antes do intervalo (45+2′) e fez 3-0 no primeiro minuto da segunda parte, deixando quase resolvido um encontro que teria ainda golos de Mateus Vital (52′) e Vitinho (67′). Ato contínuo, Fábio Carrille, treinador do Corinthians, foi despedido.

Além de ter conseguido a 15.ª vitória nos últimos 17 jogos do Campeonato depois do desaire fora com o Bahia (num total de 47 pontos em 51 possíveis), Jorge Jesus conseguiu mais dois recordes nesta 30.ª jornada: além de ter aplicado pela primeira vez “chapa 4” num encontro frente ao rival Corinthians, o português igualou este domingo o registo de 17 encontros consecutivos sem derrotas pelo Flamengo como Vanderlei Luxemburgo ou Zagallo. Antes, o antigo técnico de Benfica e Sporting já tinha superado o recorde de vitórias seguidas na prova do Flamengo.