Um consórcio formado por empresas estatais chinesas venceu um leilão para construir e operar aquela que será a segunda maior ponte do Brasil, no estado da Bahia, no nordeste do país.

De acordo com a agência de notícias Xinhua, o projeto prevê a construção de uma ponte sobre a Baía de Todos os Santos, ligando Salvador, capital do estado da Bahia, à Ilha de Itaparica, numa extensão de 12,4 quilómetros.

O consórcio chinês, formado pela China Railway 20 Bureau Group Corporation (CR20) e pela China Communications Construction Company Ltd (CCCC) venceu, sem concorrência, o leilão realizado em São Paulo na última sexta-feira.

O governador do estado da Bahia, Rui Costa, já saudou o resultado: “a obra vai mudar o patamar de desenvolvimento do estado, elevando o índice de renda e de empregabilidade da população”, disse, citado pela imprensa brasileira.

As empresas chinesas terão um ano para elaborar o projeto e outros quatro para construir a infraestrutura.

A ponte, com um investimento de 2,2 mil milhões de dólares norte-americanos (quase dois mil milhões de euros) e uma concessão de 35 anos, vai reduzir a distância entre Salvador e a Ilha de Itaparica de 452 para 309 quilómetros.

Quando concluída, a ponte, com uma extensão de 12,4 quilómetros, 400 metros de largura e uma elevação central de 85 metros para permitir a travessia de navios será a segunda mais longa do Brasil, depois da ponte Rio-Niterói.