O queniano Wilson Kipsang Kiprotich, antigo recordista mundial da maratona, foi suspenso provisoriamente por “falsificação ou falta de localização” para controlo antidoping, anunciou esta sexta-feira a Unidade de Integridade no Atletismo (IAU).

Hoje, com 37 anos, Kiprotich foi medalha de bronze nos Jogos de Londres 2012, cidade em que venceu a maratona em 2012 e 2014, além das maratonas de Nova Iorque e de Berlim (2013), tendo em 2013 detido o recorde mundial.

Em abril de 2019, irregularidades no passaporte biológico suspenderam o detentor do recorde mundial da meia maratona, Abraham Kiptum, também do Quénia, país afetado em várias modalidades de atletismo, como no caso de Jemima Sumgong, campeã olímpica da maratona no Rio2016, ou Asbel Kiprop, campeão em Pequim 2008 nos 1.500 metros.

Em dezembro de 2019, foram suspensos três quenianos, James Kibet, Mercy Jerotich Kibarus e Peter Kwemoi, todos pelo uso de substâncias proibidas, a norandrosterona, nos dois primeiros casos, e a EPO, no último.