804kWh poupados com a
i

A opção Dark Mode permite-lhe poupar até 30% de bateria.

Reduza a sua pegada ecológica.
Saiba mais

Confirmou-se o pior cenário: Paul Pogba suspenso por quatro anos devido ao uso de doping

Internacional francês estava provisoriamente suspenso desde setembro e viu agora ser confirmada a pena máxima para o uso de doping. Pogba diz que veredito é "incorreto" e vai recorrer para o TAD.

GettyImages-1642972641
i

O jogador da Juventus já estava afastado dos relvados desde setembro

Getty Images

O jogador da Juventus já estava afastado dos relvados desde setembro

Getty Images

Paul Pogba foi suspenso por quatro anos devido ao uso de metabólitos de testosterona, uma substância proibida. A notícia foi avançada pela Gazzetta dello Sport, que lembra que o Tribunal Nacional Antidopagem italiano tinha pedido precisamente uma pena de quatro anos de suspensão para o jogador da Juventus em dezembro.

O internacional francês tinha sido provisoriamente suspenso em setembro, quando foram encontrados vestígios de metabólitos de testosterona na análise que tinha feito a 20 de agosto, na primeira jornada da Serie A e logo depois de um jogo contra a Udinese. Pogba até foi suplente não utilizado na vitória dos bianconeri em Udine, não tendo cumprido um único minuto da partida, mas acabou por ser submetido ao controlo antidoping após o apito final.

Contra-análise a Pogba confirma presença de metabólitos de testosterona

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Na altura, o Tribunal Nacional Antidopagem italiano indicou que o jogador incorria numa pena mínima de dois anos de suspensão que podia chegar aos quatro se ficasse provado que tinha tido a intenção de se dopar. Pogba exerceu o direito de pedir uma contra-análise, que no início de outubro confirmou a presença de metabólitos de testosterona, um esteróide anabolizante que ajuda a acelerar o desenvolvimento muscular.

Rafaela Pimenta, a agente do internacional francês, indicou que Pogba “nunca teve a intenção de infringir as regras” e que a pena poderia mesmo ser reduzida a alguns meses se a utilização da substância proibida tivesse acontecido “fora do contexto competitivo e não estivesse ligada a melhoria do desempenho desportivo”. Ainda assim, em dezembro, o Tribunal Nacional Antidopagem italiano pediu mesmo os quatro anos de suspensão, pena máxima que foi agora confirmada e que vai deixar o jogador da Juventus afastado dos relvados até 2028 e até aos 34 anos.

O ano do regresso pode ficar hipotecado: Pogba testa positivo para testosterona num controlo antidoping

Horas depois de a suspensão se ter tornado oficial, Paul Pogba reagiu através do Instagram e garantiu que vai recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto. “Fui hoje informado da decisão do Tribunal Nacional Antidoping e acredito que o veredito é incorreto. Estou triste, chocado e de coração partido por ver que tudo aquilo que construí na minha carreira profissional foi-me retirado. Quando estiver livre das restrições legais, a história completa será contada, mas nunca tomei suplementos que violem os regulamentos antidoping de forma deliberada”, começou por escrever.

“Como atleta profissional, nunca faria nada para melhorar a minha performance através do uso de substâncias proibidas e nunca desrespeitei ou fiz batota em relação a colegas ou adeptos de equipas contra quem ou por quem joguei. Como consequência da decisão anunciada hoje, vou recorrer para o Tribunal Arbitral do Desporto”, acrescentou.

Depois de praticamente não ter jogado na época passada devido a uma lesão grave — fez apenas seis jogos na Serie A, somando uma única titularidade –, Paul Pogba estava de regresso às opções da Juventus na atual temporada. O médio francês tinha cumprido 52 minutos na altura em que foi suspenso, contra Bolonha e Empoli e como suplente utilizado nas duas ocasiões, e tinha demonstrado as limitações físicas naturais de quem esteve vários meses parado. Para além do futebol de clubes, Pogba sabe desde já que vai falhar o Euro 2024 e o Mundial 2026 com a seleção francesa.

O jogador francês cumpriu a formação entre Roissy-en-Brie, Torcy e Le Havre, mudando-se depois para Inglaterra para terminar as camadas jovens no Manchester United. Fez três jogos pelos red devils antes de sair para a Juventus, onde se tornou um dos melhores médios do mundo e conquistou quatro Campeonatos, duas Taças de Itália e duas Supertaças. Voltou ao Manchester United em 2016, vencendo uma Liga Europa e uma Taça da Liga e sendo notícia essencialmente pelas desavenças com José Mourinho. Em 2022, voltou a realizar o percurso inverso e regressou à Juventus. Na seleção francesa, foi parte crucial da equipa de Didier Deschamps que conquistou o Mundial 2018 e a Liga das Nações de 2021, para além de ter participado na final do Euro 2016 perdida para Portugal.

(artigo atualizado às 14h43 com a reação de Paul Pogba à suspensão)

 
Assine o Observador a partir de 0,18€/ dia

Não é só para chegar ao fim deste artigo:

  • Leitura sem limites, em qualquer dispositivo
  • Menos publicidade
  • Desconto na Academia Observador
  • Desconto na revista best-of
  • Newsletter exclusiva
  • Conversas com jornalistas exclusivas
  • Oferta de artigos
  • Participação nos comentários

Apoie agora o jornalismo independente

Ver planos

Oferta limitada

Apoio ao cliente | Já é assinante? Faça logout e inicie sessão na conta com a qual tem uma assinatura

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar

Ofereça este artigo a um amigo

Enquanto assinante, tem para partilhar este mês.

A enviar artigo...

Artigo oferecido com sucesso

Ainda tem para partilhar este mês.

O seu amigo vai receber, nos próximos minutos, um e-mail com uma ligação para ler este artigo gratuitamente.

Ofereça artigos por mês ao ser assinante do Observador

Partilhe os seus artigos preferidos com os seus amigos.
Quem recebe só precisa de iniciar a sessão na conta Observador e poderá ler o artigo, mesmo que não seja assinante.

Este artigo foi-lhe oferecido pelo nosso assinante . Assine o Observador hoje, e tenha acesso ilimitado a todo o nosso conteúdo. Veja aqui as suas opções.

Atingiu o limite de artigos que pode oferecer

Já ofereceu artigos este mês.
A partir de 1 de poderá oferecer mais artigos aos seus amigos.

Aconteceu um erro

Por favor tente mais tarde.

Atenção

Para ler este artigo grátis, registe-se gratuitamente no Observador com o mesmo email com o qual recebeu esta oferta.

Caso já tenha uma conta, faça login aqui.

Há 4 anos recusámos 90.568€ em apoio do Estado.
Em 2024, ano em que celebramos 10 anos de Observador, continuamos a preferir o seu apoio.
Em novas assinaturas e donativos desde 16 de maio
Apoiar
Junte-se ao Presidente da República e às personalidades do Clube dos 52 para uma celebração do 10º aniversário do Observador.
Receba um convite para este evento exclusivo, ao assinar um ano por 99€.
Limitado aos primeiros 100 lugares
Assinar agora Ver programa