O designer francês Jean Paul Gaultier anunciou que se vai reformar e que a próxima coleção de alta-costura, que apresentará em Paris a 22 de janeiro, será a última da sua carreira. O anúncio foi feito pelo artista através de um vídeo publicado no Twitter em que Gaultier afirma que fará “uma grande festa” para celebrar o fim da carreira. A retirada de Jean Paul Gaultier coincide com o ano em que o artista celebra 50 anos no ramo da moda.

No vídeo, o criador de moda finge estar ao telefone com um jornalista, a quem diz ter “um furo” para lhe contar: “Será o meu último espetáculo de alta-costura. Tens de vir, não podes perder isto. Mas garanto-te que a Gaultier Paris continuará, a alta-costura continuará”, anuncia o artista. E prossegue: “Tenho um novo conceito. Vou falar sobre isto mais tarde, todos os pequenos segredos. Beijos”, despede-se.

Segundo um comunicado da marca Gaultier Paris à AFP, a agência de notícias francesa, “a alta-costura vai continuar com um novo conceito” agora que Jean Paul Gaultier vai parar de desenhar pela própria mão as linhas a que se dedica exclusivamente desde 2015 — antes também criava coleções de peças pronto-a vestir.

Apesar da retirada de Jean Paul Gaultier do mundo da alta-costura, a marca do artista deixa em aberto a possibilidade de o criador francês começar a trabalhar noutros ramos da moda, como o design de interiores. Para a história ficam peças icónicas como o soutien cónico ostentado por Madonna, a inspiração náutica nas coleções de alta-costura e os frascos de perfume Jean Paul Gaultier.

Na fotogaleria, veja dez momentos que marcaram a carreira do designer francês.