Jorge Brito Pereira, advogado de Isabel dos Santos ligado à firma Uría Menéndez-Proença de Carvalho, garante que nunca teve “qualquer intervenção que não a de constituir formalmente a sociedade” Matter Business Solutions. É certo, diz o advogado, que este teria “poderes latos e abrangentes” sobre a empresa, mas garante que esses poderes “nunca foram por qualquer forma exercidos”, com exceção da própria criação formal da sociedade empresarial.

O esclarecimento do advogado foi feito após o Observador e outros meios de comunicação terem escrito, no domingo, que Jorge Brito Pereira “controlava” ou “administrava” a sociedade Matter Business Solutions. Já depois de ter sido noticiado que seria afastada do cargo de presidente da Sonangol, em 2017, a ex-presidente da petrolífera estatal aprovou um pagamento de 58 milhões de libras a uma empresa de consultoria, a Matter Business Solutions, com sede no Dubai, uma sociedade que foi criada por Jorge Brito Pereira, com procuração de constituição de empresa, apontado como um dos seus principais gestores e que também é presidente não executivo da operadora NOS, e tem Paula Oliveira, uma amiga próxima de Isabel dos Santos e igualmente administradora da NOS, como acionista.

Jorge Brito Pereira argumenta que dizer que este teria algum controlo efetivo sobre a empresa é uma ideia “em absoluto falsa”.

“Não tenho, nem nunca tive, qualquer ação nessa sociedade, nunca ocupei qualquer cargo nos órgãos sociais, nunca movimentei qualquer conta bancária e, em suma, nunca tive qualquer intervenção que não a de constituir formalmente a sociedade, com os poderes que me foram conferidos pela sua acionista única, no exercício da minha profissão de Advogado”, afirma o advogado.

Jorge Brito Pereira acrescenta que “a procuração que foi usada para tal corresponde a um documento geral e standartizado que, efetivamente, me confere um conjunto de poderes latos e abrangentes, os quais, sem prejuízo, nunca foram por qualquer forma – para além do ato de constituição formal da sociedade, repito – exercidos“.