Os construtores são verdadeiras máquinas de produzir e vender automóveis. Sempre que surge uma moda, como a dos SUV, ou começa a ser evidente que existe um número significativo de clientes com vontade de adquirir um determinado tipo de veículo, é certo que todas as marcas procurarão oferecer um produto que satisfaça esta nova necessidade. É isto que explica que, de repente, muitos fabricantes americanos tenham começado a prometer, para breve, uma pick-up eléctrica.

Foi a Rivian que revelou o primeiro protótipo em fase de testes deste tipo de modelo, que tem tanto de carro de trabalho como de veículo de lazer, mas que em vez dos habituais motores de combustão, a gasolina ou a gasóleo, monta motores eléctricos alimentado por baterias. A Rivian R1T não foi propriamente uma surpresa para o mercado, pois também a Tesla já tinha manifestado o desejo de apresentar um modelo similar, o que se compreende, ou não fosse este tipo de veículo o mais vendido no mercado norte-americano, ainda que com motores a combustíveis fósseis.

A questão que se coloca é saber o que mudou para surgirem, num curto período de tempo, muitas mais marcas interessadas em produzir pick-up eléctricas depois de a Tesla ter revelado a Cybertruck. Mais do que antes, após a Rivian mostrar a R1T em fase de testes, modelo que incluiu soluções e tecnologias que a tornam extremamente interessante.

Brutal! Pick-up da Rivian vira como um tanque

A explicação pode ser encontrada no anúncio da Tesla que, uma semana após ter aberto o período de encomendas afirmou já ter recolhido depósitos de 100 dólares de 250.000 clientes, valor que aparentemente não tem parado de crescer. Pelo menos, esta é a conclusão a retirar do site cybertruckownersclub, criado pelos clientes que encomendaram a pick-up da Tesla e que, assim, têm uma ferramenta para poder controlar a evolução das encomendas e, esperam eles, em breve das entregas.

A 19 de Fevereiro, o site confirmava 535.841 encomendas para a Cybertruck (em menos de 100 dias), o que deverá representar para a Tesla mais de dois anos de produção. E se não bastasse este número para impressionar a concorrência, basta recordar que aquele que é o maior bestseller da Tesla, o Model 3, recolheu 518.000 encomendas nos primeiros seis meses, após ter sido revelado ao público.

10 fotos

Após ser evidente que os clientes estavam ávidos por pick-up eléctricas, este “bolo” tornou-se demasiado grande para que os construtores que disputam o mercado americano não quisessem ter direito uma fatia. Daí que à Rivian R1T e Tesla Cybertruck, rapidamente se sucedeu a pick-up eléctrica da Ford, com a marca americana a investir na Rivian para ter direito a recorrer à tecnologia desta startup para recuperar o atraso, bem como a pick-up da GM, que está decidida a recuperar a marca Hummer, mas agora eléctrica.

Hummer regressa para combater Tesla Cybertruck

Como se não bastasse a chegada dos gigantes Ford e GM a este segmento do mercado de eléctricos, também a Nikola decidiu avançar com a Badger, com a curiosidade (e o trunfo) de poder ser alimentada por bateria ou, em alternativa, por célula de combustível a hidrogénio. Também a Fiat Chrysler Automobiles prevê avançar em breve com uma RAM eléctrica, recorrendo à tecnologia da Nikola, de quem se tornou investidora. O mercado das pick-up eléctricas está decididamente ao rubro.