A Fiat acaba de apresentar a terceira geração do seu 500, modelo icónico e capaz de se reinventar continuamente, sem nunca perder “aquela graça” que lhe vale uma imensa legião de fãs por esse mundo fora. E foi precisamente a partir desta base, cujo sucesso comercial está mais que comprovado, que o construtor transalpino decidiu arrancar com a sua ofensiva puramente eléctrica. O novo 500 move-se exclusivamente a bateria e surpreende desde logo por conseguir preservar a imagem do passado numa interpretação muito mais moderna.

Mecanicamente, confirmam-se todos os dados que aqui lhe antecipámos: uma bateria de 42 kWh montada entre os eixos alimenta um motor eléctrico de 87 kW de potência (118 cv), proporcionando uma velocidade máxima de 150 km/h, uma aceleração de 0-100 km/h em 9,0 segundos e de 0-50 km/h em 3,1 segundos. O acumulador aceita carga rápida até 85 kW, o que significa que, em apenas 5 minutos, o novo 500 ganha fôlego para cumprir mais 50 km de viagem. Mas, se continuar ligado, meia hora depois a bateria fica a 80%. Em casa, o carregamento é simplificado por via da Easy Wallbox, uma solução desenvolvida exclusivamente para a FCA, da qual já aqui falámos. Segundo a marca, esta alternativa doméstica permite recarregar por completo a bateria do citadino italiano em seis horas, fornecendo uma potência de até 7,4 kW.

Fiat 500 eléctrico arrasa com 320 km de autonomia

500 “la Prima” fica em família. É só para… 500!

Como vem sendo habitual nos lançamentos de modelos exclusivamente eléctricos, os fabricantes tratam de conceber uma primeira edição de série limitada, mais enriquecida em termos de equipamento e com detalhes distintivos. A Fiat não foge à regra e propõe “la Prima”, série de lançamento limitada a 500 unidades por mercado, com cada exemplar a custar 37.900€, valor que já inclui a wallbox. Em Portugal, as reservas podem fazer-se a partir do dia 16 de Março, mediante o depósito de 500€, quantia reembolsável caso a encomenda não seja efectivamente concretizada. As entregas das primeiras unidades estão previstas para o último trimestre de 2020.

11 fotos

A edição inaugural que coloca o 500 a caminho das zero emissões apresenta-se na variante cabriolet, podendo decorar a carroçaria em três tons distintos – todos eles a remeter para a natureza, ou não fosse este o primeiro descapotável de quatro lugares eléctrico. Assim, entre as cores à escolha, encontramos um Cinzento Mineral (pintura metalizada), para evocar a terra, um Verde Ocean (nacarada), que remete ao mar, e um Azul Celestial (tricamada), aludindo ao céu. A complementar o visual exterior, faróis dianteiros Full LED, jantes com corte diamante de 17”, aplicações cromadas nos vidros e nos painéis laterais, sem esquecer o devido apontamento de exclusividade:  o monograma Soft Top e a placa numerada com indicação do país onde a viatura foi adquirida.

7 fotos

No interior, “la Prima” diferencia-se pelos bancos e tablier revestidos a ecopele, oferecendo ao condutor e ocupantes um leque alargado de sistemas de segurança e de assistência à condução, que habilitam o pequeno Fiat ao estatuto de nível 2 em matéria de condução autónoma. Além de soluções que facilitam (e muito) a vida dos utilizadores, como câmara de visão traseira de alta resolução com linhas-guia dinâmicas; faróis automáticos e comutação médios/máximos; cruise control adaptativo e assistência à manutenção no centro da faixa; o novo 500 também dá um passo em frente, em matéria de conectividade, estreando o sistema de informação e entretenimento UConnect 5. Na série “la Prima”, isso materializa-se num  ecrã TFT de 7’’, rádio com ecrã táctil de 10,25’’ NAV, ligação sem fios Apple CarPlay/Android Auto e módulo Telematic Box.

O passado tem futuro

Apresentado em 1957 e relançado em 2007, o eterno Fiat 500 motorizou a Europa, para mais tarde revolucionar por completo o segmento dos citadinos, aliando como nenhum outro estilo e tecnologia. Agora que adopta uma plataforma específica para acomodar baterias, o 500 não se limita a crescer em termos de dimensões. É um facto que o comprimento e a largura aumentaram 6 cm, atingindo 3,63 m e 1,69 m, respectivamente, enquanto a distância entre eixos foi incrementada em 2 cm. Mas, tão importante quanto isso, é o estilo que consegue evoluir, sem renegar o passado. O emblema Fiat continua patente, mas apenas atrás (e na lona da capota), com a sigla 500 a passar a dar mais nas vistas, exibido com grande destaque à frente, reforçando o seu “peso” enquanto número mágico nas vendas da marca.

33 fotos

A frente é vertical e sem grelha, tal o Cinquecento original, com o toque de modernidade a advir dos faróis. Na traseira, o logo 500 remete ao passado, mas estilizado de modo a enfatizar que há um novo capítulo nesta história: agora o 500 é 100% eléctrico e isso confere ao lettering um contorno azul-claro e o inevitável “e” a rematar.

Provando que este citadino, ao tornar-se puramente eléctrico, está mais na moda do que nunca, nomes como Giorgio Armani, Bvlgari e Kartell – que definem tendências – associaram-se à Fiat para criar três exemplares únicos do novo 500 eléctrico. E Leonardo DiCaprio dá a sua bênção em vídeo.