Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Com muitos trabalhadores das artes cada vez mais descontentes com aquilo que consideram ser a falta de apoio do Ministério da Cultura no contexto da crise pandémica, protestos em 17 cidades do continente e das ilhas marcam esta quinta-feira, em vésperas de serem divulgadas pelo ministério de Graça Fonseca as regras definitivas para reabertura de teatros, cinemas e recintos de espetáculos a partir de 1 de junho.

Vigília Cultura e Artes, assim se chama a iniciativa, decorre em Almada, Angra do Heroísmo Aveiro, Caldas da Rainha, Coimbra, Évora, Faro, Funchal, Lagos, Leiria, Loures, Lisboa, Porto, Santa Maria da Feira, Setúbal, Sintra e Vila do Conde. Na capital, frente à escadaria Assembleia da República, já se ouviram críticas ao Ministério da Cultura, mas também apelos ao diálogo e medidas concretas. Ao início da tarde os organizadores divulgaram imagens no Facebook onde vários cidadãos aplaudiam os manifestantes.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.