A agência espacial russa Roscosmos aplaudiu este domingo o lançamento da nave espacial tripulada Crew Dragon, nos Estados Unidos, e destacou a importância de agora existirem várias formas de chegar à Estação Espacial Internacional (EEI).

“É muito importante ter, pelo menos, duas possibilidades de voar para a Estação. (…) No espaço pode acontecer qualquer coisa e é necessário ter pelo menos dois sistemas de transporte que garantam a presença de tripulações a bordo da EEI”, escreveu na sua conta de Twitter o porta-voz da agência russa, Vladimir Ustimenko.

No entanto, salientou que a Rússia não tem intenção de ficar parada em termos tecnológicos.

“Já este ano vamos testar dois novos foguetes, e no próximo ano vamos retomar o nosso programa lunar. Será interessante!”, disse.

Segundo Ustimenko, o lançamento do Crew Dragon “é algo que já devia ter acontecido há algum tempo”. “Agora não são só os russos que lançam naves para a EEI, mas também os norte-americanos. E isso é magnífico!”, afirmou.

Ainda no sábado, o diretor-executivo do programa de voos tripulados da Rússia, Serguei Krikaliov, qualificou o lançamento como “uma nova etapa do programa mundial de voos tripulados e do programa da EEI, já que agora se abrem novas possibilidades e novas reservas”.  Num vídeo publicado pela Roscosmos, Krikaliov – um ex-cosmonauta – assinalou que o programa norte-americano não afeta em nada o da Rússia.

As vantagens que tinha em transportar astronautas americanos eram benefícios adicionais. “Enquanto os nossos parceiros tiveram dificuldades por terem parado o programa Space Shuttle, e por terem demorado a restaurar o seu programa de lançamentos, nós obtivemos algum ganho adicional. Mas mais tarde ou mais cedo teria de chegar ao fim”, apontou.