Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

Tem apenas 18 anos mas passou metade da vida ao serviço do Sporting, depois de ter começado no Fabril do Barreiro, de onde é natural. Esta noite, em Guimarães, fez história: numa época onde chegou a fazer dois jogos pelos juniores mas fixou-se na equipa Sub-23, Eduardo Quaresma mereceu uma oportunidade de Rúben Amorim para fazer a estreia pelo conjunto principal, tornando-se o mais novo central a estrear-se pelos leões na Primeira Liga – ou, recuando o filme ao século passado, o segundo, na medida em que Santamaria, lançado por Mirko Jozic em 1998/99, foi lateral em dois jogos pelos seniores mas fez toda a formação no eixo central dos leões.

Amorim percebeu o mais simples: não é preciso um lifting quando se tem estas caras novas (a crónica do V. Guimarães-Sporting)

História à parte, Quaresma, um dos estreantes do conjunto verde e branco no Minho a par de Matheus Nunes, foi um dos melhores do Sporting no empate a dois frente ao V. Guimarães e liderou as estatísticas em vários parâmetros de jogo, acabando como o jogador com mais ações com bola (92), mais passes (oito) e mais interceções (quatro), a que juntou ainda três cortes, um passe para uma jogada de perigo e sete recuperações de bola. Uma estreia de luxo do jovem que tem Mathieu como principal referência (e contou com o francês e com Coates na linha de três desenhada por Amorim diante dos vimaranenses) e que é primo de Zico, velha glória da seleção brasileira e do Flamengo que tem dupla nacionalidade e que já se mostrou adepto do Sporting em Portugal. “Uma rádio brasileira dava os jogos de Portugal, às 11h da manhã, 15h em Portugal. Ao domingo o meu pai fazia um bacalhau na grelha, no fogareiro. Eu era pequenino, ele colocava-me num banquinho e eu ficava ali a ouvir o relato, enquanto ele fazia o bacalhau”, recordou o antigo camisola 10 em entrevista.

“É verdade que tenho família portuguesa mas não tinha conhecimento dessa ligação com o menino. Tomara que o tenha muito sucesso, que consiga o seu espaço no clube, que consiga realizar os seus sonhos. Desejo muito sinceramente que o Eduardo dê muitas glórias ao Sporting, com sucesso na carreira. Isso é que é importante, tal como, independentemente dos apelidos, que continue a trabalhar. Importante é que continue a dedicar-se e a lutar pelo espaço dele, que jogue o futebol que sabe. Isso é que é importante”, comentou Zico ao jornal A Bola.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

“Foi um jogo bom, um pouco estranho porque se partiu cedo. O Sporting chegou cedo à vantagem, sem merecer, mas isso ajudou-nos a cimentar o nosso jogo. Depois sofremos um golo, que acontece quando queremos arriscar na construção. Voltamos a marcar na segunda parte e acontece o empate. Tentámos manter a nossa identidade mas não deu. Com os jogos vamos melhorando”, comentou no final do encontro Rúben Amorim, em conferência de imprensa, antes de abordar as estreias de Edu, como também é conhecido, e Matheus Nunes. “Estiveram muito bem. É um jogo difícil para entrarem, por serem as estreias. O Matheus sofreu um pouco mais, também porque jogava contra três jogadores no meio e é preciso estaleca. Já o Quaresma esteve mais tranquilo, fez um excelente jogo. Estou contente com todos”, acrescentou o técnico leonino após o empate.

Com a estreia de Quaresma e Matheus Nunes, o Sporting passa a ter um total de 33 jogadores utilizados esta época, estando ainda na calha outros jovens que têm vindo a trabalhar com a equipa principal desde o regresso aos treinos após a pandemia, casos de Joelson Fernandes, Tiago Tomás, Nuno Mendes e Gonçalo Inácio.

Mas se foi notícia pela estreia em Guimarães, é bem possível que, a breve prazo, Eduardo Quaresma seja notícia por outras razões: depois de um período de estagnação nas negociações, o jovem central está muito perto de prolongar o contrato até 2025 (mais três anos do que o atual vínculo), subindo o ordenado anual de 17 mil euros para cerca de 12o mil euros, aumentando também a cláusula de rescisão para 45 milhões de euros, segundo a imprensa desportiva. Deverá também haver outras cláusulas por objetivos, à semelhança do que acontece entre todos os jogadores jovens. O mesmo deverá acontecer com outros elementos que fazem parte do “Grupo de Elite” que tinha sido identificado na temporada passada como os principais valores a chegar à equipa principal.