Cabelo loiro puxado com risca ao lado, um toque de gel para fixar as pontas soltas, aquele ar cândido de quem não faz mal a ninguém mas não poupa qualquer adversário. Duas semanas depois da lesão contraída no jogo decisivo do título frente ao Bayern, Erling Haaland recuperou do problema no joelho esquerdo e regressou às opções do B. Dortmund na deslocação a Düsseldorf para defrontar o Fortuna. Entrou aos 61′, decidiu aos 90+5′, no último lance do encontro. E com isso garantiu que os bávaros não poderão fazer a festa do título já este sábado.

Depois de uma hora de jogo em que a equipa de Lucien Favre voltou a ter uma exibição apagada como aquela que teve na semana passada diante do Hertha Berlim (1-0), a entrada do norueguês mexeu por completo com ambas as equipas: o B. Dortmund ganhou mais presença na frente e chegou mesmo a marcar, num golo anulado a Raphael Guerreiro (seria o quarto desde o recomeço) por alegado controlo com o braço antes do remate que nasceu de uma jogada de Haaland, Skrzybski entrou para aproveitar o espaço deixado pelos visitantes para tentar duas vezes a meia distância a acertar outras vezes nos postes da baliza de Bürki.

O empate parecia inevitável quando, no último minuto de descontos (que seria mesmo o derradeiro lance do jogo), Manuel Akanji foi lá à frente cruzar de pé direito para a área e Haaland, de cabeça, desviou a bola de Kastenmeier e fez o único golo do encontro, que colocou o B. Dortmund à condição a quatro pontos do líder Bayern e impediu que os bávaros, que recebem mais logo o B. Mönchengladbach, pudessem fazer a festa do oitavo Campeonato seguido já este sábado, algo que terá assim de ficar adiado, no mínimo, para a próxima jornada.

Erling Haaland, o “menino-homem” que é o próximo Ibrahimovic, quer ser campeão no Leeds e se tornou a estrela do mercado de inverno

Desta forma, o norueguês manteve também a veia goleadora numa temporada de sonho onde se assumiu como um dos melhores avançados das principais ligas europeias, levando já um total de 42 golos entre Red Bull Salzburg e B. Dortmund, 14 em 15 jogos desde que chegou ao conjunto alemão em janeiro. “O que posso dizer sobre o jogo? Que as boas equipas ganham até quando fazem jogos menos conseguidos”, resumiu no final de um encontro em que marcou o primeiro golo de cabeça pela formação germânica.

Tudo acabou bem para o B. Dortmund, que conseguiu mais um triunfo importante para garantir o segundo lugar no Campeonato. Para o B. Dortmund, para os jogadores mas não para o treinador: Lucien Favre, suíço que chegou em 2018 ao comando da equipa depois de passagens por Hertha Berlim, B. Mönchengladbach e Nice, exagerou nos festejos e acabou por sofrer um problema muscular na perna que o levou a sentar-se no banco até ao final…