O Teatro Maria Matos, em Lisboa, vai voltar a abrir portas a 15 de julho. A reabertura do espaço, que esteve encerrado e foi concessionado a privados no âmbito de uma remodelação da rede de teatros municipais de Lisboa, esteve inicialmente prevista para abril, mas foi adiada para julho devido à pandemia do novo coronavírus.

A data foi anunciada esta quinta-feira pela empresa e promotora privada de espectáculos Força de Produção, que venceu o concurso para a exploração privada do espaço durante cinco anos e que ali promoverá, ao longo dos próximos meses, a apresentação de espectáculos como “Avenida Q” e concertos de artistas como Salvador Sobral, Afonso Cabral e a banda Clã.

Em comunicado, a promotora revela as linhas de orientação que guiarão a programação futura do Teatro Maria Matos e dá detalhes sobre os espectáculos que ali acontecerão nos próximos meses.

O teatro funcionará, numa fase inicial e até as medidas de contenção da pandemia decretadas para o setor continuarem em vigor, com uma lotação mais reduzida, de 230 lugares. Os promotores prometem uma “oferta cultural de qualidade, diversificada e para o grande público”, que terá como “eixo central” de programação o Teatro — “em temporadas de média e longa duração” —, a música — “através de concertos, festivais e outras iniciativas” — e as artes performativas.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.