O túnel do Aeroporto Francisco Sá Carneiro, na Maia, distrito do Porto, que permite a ligação entre a rua da Fábrica e Vilar do Senhor, em Vila Nova da Telha, reabre durante a tarde desta sexta-feira, anunciou a câmara local.

Em nota à imprensa, a autarquia da Maia informou que este túnel reabrirá às 18:00, estando em causa um acesso que foi no passado muito reivindicado e uma obra que demorou cerca de um ano.

Com este túnel fica assegurada a reabertura da continuação da rua da Fábrica pelo Túnel do Aeroporto e o seu alinhamento com a avenida Gago Coutinho, o que permite o restabelecimento dos acessos a Vilar do Senhor.

A autarquia presidida por António Silva Tiago destaca, ainda, que o renovado túnel do aeroporto tem passeio, o que permite a passagem de peões, um melhoramento que a câmara diz ter sido possível graças ao protocolo assinado pelo município e pela ANA – Aeroportos de Portugal.

A conclusão dos trabalhos nas vias municipais permite a regularização do trânsito na zona de Vila Nova da Telha, nomeadamente com a nova rotunda na intersecção da Avenida Gago Coutinho, Rua da Fábrica e Rua das Bicas e a reabertura do Túnel do Aeroporto, com ligação a Vilar do Senhor, uma localidade da freguesia de Vila Nova da Telha que assim vê reposta a sua acessibilidade direta ao lado nascente daquela freguesia”, acrescenta a autarquia.

O atraso das obras destes acessos foram alvo de críticas pela população e partidos políticos, nomeadamente o PCP que, em fevereiro, manifestou preocupação com os impactos da empreitada no aeroporto do Porto “na vida das populações, lamentando a necessidade de desvio devido ao encerramento deste túnel.

“O túnel do aeroporto, em Vila Nova da Telha [concelho da Maia], que permitia uma ligação relativamente célere, está encerrado e obriga a um desvio que hoje fizemos e que fica acima dos 15 minutos”, descreveu à Lusa a deputada Diana Ferreira, em 17 de fevereiro.

Já em janeiro, o Observador noticiava que as obras no aeroporto Francisco Sá Carneiro, que tinham término previsto para este ano, afinal vão demorar quase um ano a mais do que estava previsto.

Em abril de 2019, a Vinci, dona da ANA – Aeroportos de Portugal, anunciou estar a investir 15 milhões de euros na ampliação do caminho de circulação do aeroporto do Porto.

Em cima da mesa está um projeto de melhoramento de circulação das aeronaves, que irá permitir aumentar os movimentos por hora de 20 para 32, graças à “criação de uma saída rápida na pista e entradas múltiplas”, avançou o mesmo responsável, em declarações aos jornalistas.

Além disso, a capacidade da pista irá aumentar em 60%, algo que poderá traduzir-se num aumento “teórico no terminal”, ou seja, em número de passageiros, mas não para já.

As obras estão a ser realizadas de forma a que o tráfego atual sofra o mínimo de perturbações, sobretudo durante a noite e, na ocasião, foi divulgado que a empreitada ficaria concluída na sua totalidade em abril de 2020.

A Vinci garantiu ainda que o aeroporto do Porto terá, depois destes melhoramentos, “capacidade para 20 milhões de passageiros” por ano, sendo que no ano passado movimentou 12 milhões.