A pandemia do novo coronavírus está a atrasar o lançamento dos novos iPhone. A garantia foi dada por Luca Maestri, que é responsável pelas finanças da Apple, durante a conferência que ocorreu com os analistas para discutir os resultados do último trimestre, explica a Cnet.

“Como sabem, no ano passado começámos a vender os iPhone no final de setembro. Este ano, prevemos que estejam disponíveis para venda umas semanas mais tarde”, referiu.

Apesar de o mundo estar em plena pandemia de Covid-19, em abril a Apple lançou o novo modelo do iPhone SE, considerado o smartphone de baixo custo da marca (apesar de, em Portugal, a versão mais económica custar 499 euros), que é uma continuação do modelo SE, lançado em 2016. A expectativa é a de que os novos iPhone referidos por Maestri venham já com tecnologia 5G.

Apple lançou mesmo um iPhone “low-cost”. O novo SE chega às lojas a 24 de abril

Também no final de julho, a tecnológica Qualcomm, que produz componentes para telemóveis, anunciou que iria haver um atraso global no lançamento de um modelo de smartohone 5G”, com a comunidade tecnológica a especular sobre se a empresa se estaria a referir ao novo iPhone — os rumores apontam para que sim.

Aos analistas, Luca Maestri adiantou que as expectativas apontam para que os outros produtos da Apple (que não o iPhone) vendam “fortemente” devido à época de regresso às aulas e ao trabalho que se avizinha. “Sabemos que estes produtos são incrivelmente relevantes, sobretudo dadas as circunstâncias atuais”, disse Maestri.

A Apple já tinha referido em fevereiro que a pandemia do novo coronavírus estaria a afetar o negócio da venda dos iPhone e outros produtos, mas em abril anunciou que a produção já estava de volta ao ritmo normal. Para a rentrée, esperam que a procura por computadores e iPad aumente, com a empresa a referir que tem um inventário de produtos “restrito”, o que poderá significar que a oferta não vai ser suficiente para a procura.