Os trabalhadores portuários dos Açores vão fazer greve parcial ao trabalho a partir do dia 18 de agosto, anunciou esta terça-feira o Sindicato Nacional dos Trabalhadores das Administrações Portuárias (SNTAP).

O dirigente do SNTAP Serafim Gomes disse à agência Lusa que foi emitido um pré-aviso de greve ao trabalho além das oito horas laborais normais, mas os portos “vão poder funcionar, de segunda a sexta-feira, 16 horas diárias”.

O sindicalista prevê que a greve se estenda “até ao final do mês”, mas manifestou-se esperançado que “as coisas sejam resolvidas” até ao início da paralisação com a secretária regional dos Transportes e Obras Públicas, Ana Cunha, a quem afirma ter sido enviada uma missiva para “tentar evitar o conflito”, mas ainda “não se obteve resposta”.

Em 29 de julho, o SNTAP queixou-se de “hostilidade” por parte da empresa pública Portos dos Açores, com a empresa a dizer-se surpreendida com as queixas e a negar as acusações.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Há uma atitude de grande hostilidade, nomeadamente para com determinados grupos de trabalhadores marítimos”, lamentou o presidente da direção do SNTAP, em declarações à agência Lusa, dando como exemplo a “incerteza” que existe diariamente sobre quem é que vai ter de fazer trabalho extraordinário.

O sindicalista criticou as chefias diretas desses trabalhadores, dentro da empresa Portos dos Açores, por acabarem por “manipular arbitrariamente a distribuição do trabalho”.

Causa, naturalmente, discrepâncias, injustiças e, sobretudo, a incerteza na vida das pessoas, porque os trabalhadores têm direito à sua vida familiar e social e acabam, muitas vezes, por não o poderem fazer, porque não sabem quem é que vai ou não trabalhar, nem quando”, referiu Serafim Gomes.

A Lusa tentou obter uma reação do presidente do Conselho de Administração da Portos dos Açores, Miguel Costa, à greve parcial, mas tal, até ao momento, não foi possível.

Também em 29 de julho, Miguel Costa mostrou-se “surpreendido” com as queixas do sindicato, negando a existência de qualquer clima de hostilidade e sublinhando que a está apenas a cumprir o acordo de empresa.

Todas as escalas são comunicadas integralmente, de acordo com aquilo que resulta do acordo de empresa, ou seja, até às 16h00 do dia anterior, ou até ao último dia útil, se for ao fim de semana”, explicou o administrador portuário, acrescentando que “se isto é hostil, resulta do acordo de empresa, assinado pelo SNTAP”.

A Portos dos Açores disse, na altura, que está disponível para manter o diálogo com o sindicato.