Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A realizadora portuguesa Ana Rocha de Sousa foi distinguida neste sábado com o prémio Leão do Futuro – Luigi De Laurentiis e o prémio especial do júri da secção competitiva Horizontes no Festival de Cinema de Veneza por uma longa-metragem sobre as adoções forçadas no Reino Unido. O filme teve exibição em Veneza na última terça. Na secção Horizontes estava uma outra realizadora portuguesa, Laura Carreira, com a curta-metragem The Shift.

Já na sexta-feira Ana Rocha de Sousa tinha recebido dois galardões: o Prémio Bisato d’Oro para Melhor Realização, atribuído por um júri de críticos independentes, e ainda o prémio Sorriso Diverso Venezia, pela “abordagem às questões sociais” (ex aequo nesta categoria com Selva Trágica, de Yulene Olaizola). No ocasião, disse considerar as distinções “muito importantes para credibilizar o filme, porque o tema é polémico e é muito fácil pô-lo em causa”.

Este artigo é exclusivo para os nossos assinantes: assine agora e beneficie de leitura ilimitada e outras vantagens. Caso já seja assinante inicie aqui a sua sessão. Se pensa que esta mensagem está em erro, contacte o nosso apoio a cliente.