Portugal e Angola admitem retomar “atividades de assessoria técnico-militar e de formação temporariamente suspensas por força da pandemia” de Covid-19, anunciou esta sexta-feira o Ministério da Defesa Nacional (MDN).

Os ministros da Defesa de Portugal, João Gomes Cravinho, e de Angola, José Ernesto dos Santos, reuniram-se esta sexta-feira, por videoconferência, e um dos temas em análise foi a “avaliação muito positiva da cooperação bilateral no domínio da defesa” e concluíram pelo “interesse de ambos em retomar as atividades de assessoria técnico-militar e de formação temporariamente suspensas por força da pandemia”, além de “começar a fazer ajustamentos aos programas em vigor”, segundo um comunicado do MDN.

A ciberdefesa e o incremento da cooperação sobre a segurança foram também temas em agenda na reunião desta sexta-feira em que Gomes Cravinho convidou José Ernesto dos Santos para uma visita a Portugal.

No capítulo da cooperação multilateral, os dois ministros “trocaram impressões sobre a importância de relançar a componente de defesa da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) e o potencial de participação dos dois países em missões e operações de paz”.

Na reunião, segundo o comunicado, o ministro angolano da Defesa reiterou a “disponibilidade para continuar a prestar apoio à Liga dos Combatentes na missão de requalificação de sepulturas de antigos combatentes portugueses”.

Os governos de Portugal e Angola assinaram há dois anos o Programa Quadro de Cooperação entre os dois países para o período de 2018 e 2021 que prevê, nomeadamente, o ensino e formação de militares angolanos nos estabelecimentos de ensino militar e não militar portugueses.