O presidente do FC Porto, Pinto da Costa, aconselhou esta segunda-feira o presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, a dispensar o apoio do primeiro-ministro António Costa, que, como noticiou o jornal Expresso, integra, juntamente com Fernando Medina, a comissão de honra de Vieira enquanto candidato à presidência do clube.

No entender de Pinto da Costa, que deu uma entrevista ao jornal O Jogo, o apoio do primeiro-ministro socialista “não é benéfico” para a candidatura de Luís Filipe Vieira, ainda que considere que esse apoio é normal enquanto “cidadão e benfiquista”.

Costa recusa comentar apoio a Vieira. “É um assunto que não tem nada a ver com a vida política”

Isto porque o presidente do FC Porto é muito crítico das políticas do Governo no que diz respeito às medidas de restrição da pandemia e ao consequente retomar da normalidade, criticando o facto de os jogos de futebol ainda não terem sido abertos ao público, quando outros espetáculos de cariz cultural já foram.

Arrisca-se a que António Costa fique na história como o homem que asfixiou os clubes de futebol e matou as modalidades”, disse na entrevista.

Lembrando que Portugal está entre os países com “maior carga fiscal na Europa”, Pinto da Costa critica o facto de o Governo, ao mesmo tempo que não autoriza o regresso do público aos estádios, impedindo a geração de receitas, “não baixa, nem suspende parcialmente, os altos impostos que caem sobre os clubes”.

É nesse sentido que Pinto da Costa aconselha o homólogo benfiquista a desvincular-se do apoio do primeiro-ministro. “Não sei se, para o candidato, será bom ter como apoiante o responsável pela destruição e falência portugueses”, disse.