Uma nova sondagem do The Wall Street Journal/NBC News dá uma vantagem de oito pontos a Joe Biden, em relação a Donald Trump, nas intenções de voto para a eleição presidencial de novembro. O candidato democrata está a segurar a liderança mas a diferença entre os dois parece estar a reduzir-se gradualmente: era cerca de 9 pontos em agosto e de 11 pontos em julho.

Segundo a sondagem publicada neste domingo, 51% dos inquiridos disseram que votariam em Joe Biden, mais do que os 43% que indicaram que a sua escolha deverá recair no atual Presidente, Donald Trump. Esta é uma sondagem, baseada em 1.000 inquéritos, que decorreu entre os dias 13 e 16 de setembro, ou seja, antes da morte da juíza Ruth Bader Ginsburg, que poderá levar a algumas mudanças no sentido de voto de algumas pessoas – numa altura em que Trump garante que não vai esperar para nomear um substituto (uma substituta, “provavelmente”) e que na próxima semana o Senado já terá um nome submetido à sua aprovação.

Substituto de Ginsburg “provavelmente” será mulher, diz Trump

Outro dado importante da sondagem é que mais de 70% dos inquiridos indicaram que não irão alterar o seu sentido de voto, independentemente do que aconteça, por exemplo, nos (três) debates presidenciais que vão decorrer nas próximas semanas. O primeiro acontece já no próximo dia 29.

Trump é, a julgar por esta sondagem, visto como um presidente mais capaz na gestão da economia do país: 48% concordam com essa ideia, contra 38% que acham que Biden contribuiría para melhorar a economia mais do que o seu adversário. Por outro lado, Trump é visto como muito menos habilitado para gerir a pandemia e os seus impactos nos EUA: 51% acham que Biden seria melhor (29% confiam mais em Trump nesse aspeto).