As duas irmãs do rapaz de apenas 5 que esta segunda-feira ao final da tarde caiu de um 9.º andar de um prédio na Tapada das Mercês, no concelho de Sintra, já foram sinalizadas pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens (CPCJ).

A notícia já tinha sido avançada pelo Jornal de Notícias e, ao Observador, a presidente da CPCJ Sintra Ocidental não deu mais detalhes limitando-se a dizer que aquele órgão está “a agir de acordo com a lei”.

De acordo com o Comando Metropolitano de Lisboa, que confirmou a ocorrência ao Observador, o rapaz tinha sido deixado em casa com duas irmãs menores, de 6 e 9 anos, enquanto a mãe e o companheiro, que, também de acordo com o JN, não será pai de nenhuma delas, foram ao supermercado.

Durante uma brincadeira na varanda do prédio, o rapaz caiu de uma altura de cerca de 25 metros. O alerta chegou ao Comando Distrital de Operações de Socorro de Lisboa às 19h09 de Portugal Continental.

No local esteve a Polícia de Segurança Pública, os bombeiros de Algueirão-Mem Martins e o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM). A criança chegou a ser transportada para o Hospital de Santa Maria, onde foi declarado o óbito.

Atualizado quinta-feira, 1 de outubro, com a informação relativa à CPCJ