Um incêndio num arranha-céus na cidade de Ulsan, no sudeste da Coreia do Sul, provocou 93 feridos e levou à retirada de centenas de pessoas do edifício.

Segundo a agência estatal de notícias sul-coreana Yonhap News, o incêndio começou por volta das 23h07 de quinta-feira (17h07 de Portugal continental) no edifício comercial e residencial de 33 andares Samhwan Art Nouveau.

Centenas de pessoas foram retiradas do edifício que tem mais de 120 apartamentos e unidades comerciais, tendo 93 delas, incluindo um bombeiro, sido hospitalizadas, de acordo com os Bombeiros de Ulsan. Apesar de existirem três pessoas com ferimentos graves, não há registo de mortes.

As chamas começaram no 12.º andar mas rapidamente se alastraram a todo o edifício devido aos ventos fortes. Segundo o jornal The Korea Herald, o incêndio chegou mesmo a estar sob controlo duas horas após ter começado mas voltou a reacender. Por volta das 7h (1h em Lisboa) os ventos na cidade de Ulsan registaram uma velocidade máxima de 30,2 km/h.

Foi aberta uma investigação para averiguar as causas do incêndio que foi esta sexta-feira dominado após 16 horas de combate às chamas. O primeiro-ministro da Coreia do Sul Chung Sye-kyun pedira a mobilização de todos os recursos disponíveis para conbater este fogo. Durante a manhã, o ministro do Interior e Segurança, Chin Young, visitou o local.