O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, anunciou esta sexta-feira que nos próximos quatro anos vai proceder ao pagamento de cerca de 114 milhões de euros em retroativos às forças de segurança.

Decidimos em 2020, por decisão política, não existia nenhuma obrigação judicial que o determinasse, decidimos nos próximos quatro anos proceder ao pagamento de retroativos(…), cerca de 114 milhões de euros, um pagamento justo e que é devido pelos portugueses, por aquilo que as forças de segurança fizeram pelo país”.

O governante falava aos jornalistas à margem da inauguração do novo Posto Territorial da GNR de Cebolais de Cima, no concelho e distrito de Castelo Branco.

O ministro explicou ainda que em agosto foram pagos 14 milhões de euros às forças de segurança em retroativos de suplementos referentes ao período entre 2011 e 2019.

Adiantou ainda que o Governo procedeu também ao desbloqueamento de promoções, sendo que há três anos consecutivos que estas estão a decorrer.

Este ano, recentemente foram realizadas mais de 500 promoções (..). Desde que foi decidido em 2018 o descongelamento de carreiras, permitiram já à esmagadora maioria dos militares terem uma evolução remuneratória”.