Nem só os segmentos dos veículos eléctricos e híbridos plug-in estão a crescer no mercado europeu, uma vez que também a procura por modelos compactos de três ou cinco portas e mecânicas possantes está a aumentar, ainda que de forma menos exuberante. Aos Mégane RS, Honda Civic Type R e Hyundai i30 N, a Volkswagen quer juntar um concorrente à altura. Daí que ao Golf GTI de 245 cv, o fabricante alemão pretenda adicionar em breve o GTI Clubsport.

O motor desta versão mais desportiva continua a ser o 2.0 sobrealimentado, agora com 300 cv de potência e 400 Nm de força, conseguidos à custa de um turbocompressor desenvolvido pela Continental, que promete ser mais progressivo e, logo, melhor para os consumos e emissões. Se a isto juntarmos uma unidade de gestão electrónica afinada para o novo equipamento, obtém-se um GTI Clubsport.

Este GTI Clubsport mantém a tracção às rodas da frente e associa o motor a uma caixa com sete velocidades automática de dupla embraiagem, com relações mais curtas do que no GTI normal, com menos 55 cv, que ajuda a conseguir atingir os 100 km/h ao fim de apenas 6,0 segundos, para depois o limitador electrónico determinar que a velocidade máxima se fica pelos 250 km/h.

O GTI Clubsport monta um autoblocante electromecânico VAQ, em vez do habitual XDS do GTI, que tem um funcionamento meramente electrónico, com o desportivo mais potente a beneficiar ainda do Dynamic Chassis Control, que permite várias afinações da suspensão, incluindo um modo ideal para o circuito de Nürburgring, segundo a VW.

Mas nem tudo são boas notícias, uma vez que, enquanto anunciava a chegada para breve do GTI Clubsport, a VW terá igualmente revelado que não espera introduzir a versão mais possante e “assanhada” Clubsport S. A anterior versão S do Clubsport viu serem produzidas apenas 400 unidades e os seus 310 cv revelaram-se suficientes para realizar uma volta ao circuito de Nürburgring em 7 minutos, 47,19 segundos, o que constituiu o recorde da pista alemã durante alguns meses, até ser destronado pelo Civic Type R e, depois, o Mégane RS Trophy-R, que ainda é recordista com um registo de 7.40,1.