Analistas do mercado financeiro consultados semanalmente pelo Banco Central do Brasil subiram a estimativa de inflação no país este ano de 3,54% para 4,21%, segundo informações divulgadas esta segunda-feira no Boletim Focus.

Foi a 17.ª semana seguida de subidas e, agora, a previsão ficou acima da meta do Governo brasileiro para a inflação estipulada em 4% em 2020, com uma margem de tolerância de 1,5 pontos para mais ou para menos. Os analistas esperam uma inflação de 3,34% em 2021, expectativa que se mantém abaixo da meta central estipulada pelo Governo brasileiro em 3,75%.

A pandemia de Covid-19 provocou uma recessão na economia brasileira e os economistas baixaram a estimativa para a inflação. Nos últimos meses, porém, a subida do dólar face à moeda do Brasil, o real, fez com que os preços voltassem a subir no mercado interno.

O Boletim Focus projetou que a economia brasileira em 2020 deverá recuar menos do que o apontado no relatório anterior. Os analistas esperam um recuo de 4,40% no Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil em 2020. Na semana passada, a estimativa era de que o PIB brasileiro ficaria negativo em 4,50%.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em novembro, o Ministério da Economia do Brasil baixou oficialmente de 4,7% para 4,5% a sua previsão sobre a retração do PIB em 2020. A projeção dos analistas de mercado consultados pelo Banco Central brasileiro para a formulação do Boletim Focus indica um cenário mais otimista em 2021.

Os analistas esperam um crescimento de 3,50% da economia do país, projeção superior à estimativa de subida de 3,45% do PIB brasileiro, divulgada na semana passada. O Ministério da Economia projeta que o PIB do país deverá crescer 3,2% em 2021.