A cidade de Tóquio vai entrar novamente em estado de emergência e voltam a levantar-se dúvidas sobre a realização dos Jogos Olímpicos que estão marcados para os meses de julho e agosto. Um membro sénior do Comité Olímpico Internacional (COI) já abre a porta a um novo adiamento e em Portugal, o Comité Olímpico diz que pediu “às autoridades de saúde e ao governo para que a missão seja incluída na lista de prioridades, dentro dos grupos-alvo”, mas que “até ao momento não existiu nenhuma resposta”.

Dick Pound, um membro sénior do COI, disse à BBC que não pode ser dada uma garantia sobre a realização dos Jogos entre os dias 23 de julho e 8 de agosto. Este dirigente, um antigo nadador canadiano, diz mesmo que a questão de um novo adiamento dos Jogos Olímpicos é “o grande elefante na sala” do desporto internacional. Nessa entrevista, Dick Pound sugere ainda que “o maior número possível de atletas deve ser vacinado antes dos Jogos, até pelo exemplo que são para os mais jovens e para as suas comunidades”.

[Ouça aqui as declarações de José Manuel Constantino à Rádio Observador]

José Manuel Constantino: “Missão Olímpica deve integrar lista de prioridades na vacinação”

Em Portugal, o presidente do Comité Olímpico, José Manuel Constantino, concorda com esta tomada de posição, mas lamenta que “não exista um acordo global” isto porque “há países que vão vacinar os seus atletas poucas semanas antes dos Jogos Olímpicos“. Por cá, José Manuel Constantino revela ainda ao Observador que “foi enviado um pedido à Direção Geral de Saúde e ao Governo para que a missão olímpica pudesse ser integrada na lista de prioridades, obviamente dentro dos grupos-alvo“.

Apesar desse apelo, o presidente do Comité Olímpico de Portugal lamenta não ter recebido ainda qualquer resposta, tendo em conta até que “esse apelo foi feito antes de ser conhecido o Plano de Vacinação para a Covid-19“. Apesar da falta de respostas, José Manuel Constantino acrescenta ainda que “a orientação do Comité Olímpico vai ser a de todos se vacinarem”, acreditando que a larga maioria vai ser vacinada quando forem chamados pelas autoridades de saúde.

O Observador contactou a Direção Geral da Saúde e a Secretaria de Estado da Juventude e do Desporto, mas até ao momento ainda não obteve uma resposta sobre este pedido feito pela entidade que representa os atletas olímpicos.

Com a possibilidade de adiamento novamente em cima da mesa, o Comité Olímpico diz que o único papel que pode ter é o de “aguardar com expectativa pelos desenvolvimentos, até porque a possibilidade de adiamento não era colocada há um mês e agora já está a ser“. Apesar das dificuldades, José Manuel Constantino assegura que “a questão logística já está tratada desde o ano passado” e que por isso está já assegurada.

Os Jogos Olímpicos de Tóquio foram adiados de 2020 para este 2021 e estão atualmente marcados para os dias 23 de julho a 8 de agosto. No entanto, a cidade de Tóquio vai agora entrar em estado de emergência devido ao aumento de casos de Covid-19, com um terço dos japoneses a defenderem — segundo uma sondagem da televisão NHK — que o evento deve mesmo ser adiado.