Tem acesso livre a todos os artigos do Observador por ser nosso assinante.

A notícia que avança com a possibilidade de a Land Rover estar em vias de lançar uma versão pick-up do novo Defender é o melhor que podia acontecer aos potenciais compradores portugueses. Não que a mais recente geração do Defender em modo pick-up seja melhor ou pior do que aquela com a carroçaria fechada, mas sim porque o sistema fiscal nacional privilegia este tipo de veículo com caixa aberta atrás, por ser considerado carro de trabalho, em certas condições, o que lhe permite benefícios fiscais.

Há grandes diferenças entre o novo e o velho Defender, com a geração mais recente a revelar uma notória evolução em sofisticação e qualidade, fruto de, entre outras opções, ter trocado o anterior chassi de longarinas, tipicamente dos jipes, por uma estrutura monobloco, tipo SUV. Sucede que isto tornou mais difícil conceber uma versão pick-up, com caixa atrás, com base no novo Defender, afastando os condutores portugueses de versões com preços substancialmente mais acessíveis, mesmo se, no máximo, possuíssem apenas bancos para três ocupantes.

Desde a introdução do novo Defender que a Land Rover assumiu estar a equacionar, ainda que num futuro não definido, a hipótese de vir a conceber uma pick-up com base no SUV. Ao que parece, a situação finalmente evoluiu e no bom sentido. De acordo com o director executivo do programa de veículos Nick Collins, durante uma conversa com a publicação britânica Autocar, o “Defender oferecerá uma família de modelos” que incluirá uma pick-up.

Segundo a imprensa inglesa, a variante com caixa aberta atrás poderá estar disponível no Defender 90 e 110, ou seja, na versão curta e longa, o que alargará o potencial da pick-up no nosso país, sendo que depois será mais fácil ser concebido um hard top para “fechar” o veículo e dotá-lo com um ar de SUV, que obviamente não será.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR