Comecemos pelas curiosidades: sabia que a área auto do Observador é uma das principais secções geradoras de audiência no site do jornal, com informação credível e um elevado expertise jornalístico sobre a temática? E sabia que o stand online PiscaPisca.pt foi lançado no dia em que Portugal teve conhecimento do seu primeiro caso de Covid-19, e que no espaço de 11 meses, o site já igualou o líder de mercado da última década no número de carros disponíveis — são mais de 50.000 —, para compra na sua plataforma?

Em boa verdade, o leitor podia saltar para este segundo parágrafo do texto, porque descrever as curiosidades acima é o mesmo que falar em impacto, sucesso e valor acrescentado. São as coisas que nos unem que desbravam caminho para parcerias com propostas de valor aliciantes: não é só mais uma, esta é uma parceria construída à medida das suas necessidades.

“Partilhamos o ADN a vários níveis. Para começar, os dois projetos são startups ou nativos digitais, nascemos no mundo da internet e tiramos o máximo partido de todo o seu potencial. Em segundo lugar, as duas marcas fazem da inovação a sua força motriz, em ambos os casos o mercado estava ‘ocupado’ por players incumbentes e conseguimos impor-nos rapidamente”, explica Rudolf Gruner, diretor-geral do Observador.

Que parceria é esta, afinal?

Chega de conversa, vamos diretos ao assunto: que parceria é esta, afinal?

A partir de agora, ao navegar na secção auto do jornal, o leitor do Observador, com interesse no mundo automóvel, terá acesso a algumas sugestões de carros usados, podendo aceder diretamente ao site do PiscaPisca.pt. Por outro lado, quem tem em mente colocar o seu carro à venda na plataforma de carros usados, passa a ter a possibilidade de ver o anúncio destacado no site do Observador (lembra-se do momento em que lhe contámos que a área auto está entre as mais vistas?). Esta integração é um dos pontos-chave que permitirá o seu sucesso neste mercado de compra e venda.

Mas há mais. A parceria entre o Observador e o Pisca Pisca em 2021 é “abrangente”, destaca Rudolf Gruner. O diretor-geral do jornal online dá conta que esta parceria “envolve publicidade digital nas plataformas do Observador (site, app, newsletter e redes sociais), na rádio Observador em direto, com spots e livecopies, e em diferido nos podcasts, e ainda nas revistas em papel do Observador”. Noutra ótica, existe também uma componente de conteúdo patrocinado desenvolvida pelo Observador Lab (área de branded content do Observador) e ainda o patrocínio à 4.ª edição dos Prémios Auto 2021 do Observador.

E benefícios?

“A base da parceria é na verdade muito simples: oferecer aos mais de três milhões de portugueses que todos os meses passam no jornal e na rádio Observador a possibilidade de conhecerem a oferta de carros usados do Pisca Pisca”, informa o responsável do jornal. É importante ter em conta que caso tenha interesse em comprar um veículo, poderá fazer pesquisas, comparações e saber das últimas novidades disponíveis na montra virtual do PiscaPisca.pt. Se o seu objetivo é vender um carro, fique a saber que o novo espaço na área auto do Observador, destinado à promoção da oferta do stand online, permite que chegue a novos públicos e celebre potenciais contactos de venda — esta parceria, dá palco aos clientes do stand, uma vez que conseguem “chegar a um segmento de mercado qualificado e diferenciado, com um poder de aquisição acima da média”, esclarece Rudolf Gruner. E adianta: “O Observador tem um canal Auto muito desenvolvido, com mais de 100 conteúdos novos publicados todos os meses, desde a atualidade, aos ensaios, mercado, tecnologia, etc. em texto, imagem, vídeo e áudio. Já tínhamos uma ferramenta de apoio à compra de carros novos, mas não tínhamos ainda uma oferta de usados, o que era uma lacuna. Se tivermos em conta que num ano ‘normal’ em Portugal se vendem menos de 250 mil carros novos e mais de 400 mil usados, é evidente que faltava esta componente de oferta aos nossos leitores. Não fazia sentido para nós criarmos a nossa própria plataforma de usados, por isso, estamos muito satisfeitos em nos associarmos a um parceiro tão forte e credível com o Pisca Pisca”.

Num período em que estamos todos muito sensibilizados e em constante alerta para os perigos do online, o PiscaPisca.pt resolve, com o seu modelo de negócio, um dos principais defeitos da era da internet, como a “insegurança e a falta de credibilidade, ao certificar comerciantes e disciplinar o mercado, dando confiança a quem compra”, termina Rudolf Gruner.

Mas os benefícios desta parceria também se estendem a outras dimensões, como a questão do parque automóvel nacional, cuja idade média já ultrapassou os 22 anos, o que representa um perigo em termos de segurança e de ambiente. “Numa fase em que o online e, concretamente, o e-commerce mostram um crescimento exponencial, muito influenciados pelo confinamento, o Pisca Pisca veio dinamizar muito o mercado dos usados, em que a média de idade ronda os 4 a 5 anos, com uma oferta alargada e uma melhor experiência de compra, contribuindo para reduzir a idade média do parque automóvel”, acrescenta o diretor-geral do Observador.

São as coisas que nos unem que promovem grandes negócios. E você, que nos lê, não é posto de lado. Isto é para si: verá que vender o seu usado nunca foi tão fácil (fora tudo o resto, claro).

Este texto foi objeto de um direito de retificação, que pode ler aqui.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR