Depois de 100 navios terem atravessado o Canal do Suez durante a última noite, as autoridades esperam que, esta terça-feira, mais 140 navios completassem a travessia marítima. No entanto, só daqui a três ou quatro dias é que as mais de 400 embarcações que aguardam a sua vez, com cargas que vão desde ovelhas a móveis do Ikea, vão desimpedir o tráfego.

De acordo com o almirante Osama Rabie, presidente da Autoridade do Canal do Suez, citado pela Reuters, espera-se que até às 17h (em Portugal continental) passem mais 95 navios, sendo expectável que outros 45 completem a travessia até à meia-noite desta terça-feira.

Os navios retomaram o tráfego no Canal Suez na passada segunda-feira, depois de o porta-contentores Ever Given, carregado com mais de 20 mil contentores, ter estado seis dias atravessado naquele que é um dos pontos fundamentais do comércio internacional, onde passa cerca de 15% do tráfego marítimo mundial.

Navio gigante já desencalhou no Canal do Suez. Tráfego retomado uma semana depois

Depois da celebração de segunda-feira, quando o Ever Given finalmente desencalhou e começou a flutuar, seguem-se as contas aos prejuízos, e o impacte do incidente que veio causar ainda mais constrangimentos às cadeias de abastecimento a nível mundial, que já enfrentam grandes dificuldades devido aos constrangimentos causados pela pandemia de Covid-19.

PUB • CONTINUE A LER A SEGUIR

Em espera, enquanto o tráfego marítimo volta à normalidade, conta o The Guardian, estão 11 navios com origem na Roménia com mais de 130 mil cabeças de gado (maioritariamente ovelhas), que já foram assistidas por veterinários enviados pelo Egito. No entanto, organizações de defesa dos direitos dos animais alertam para as condições degradantes em que estão os animais retidos nos navios.

Mais de 100 navios atravessaram o Canal do Suez durante a noite

“Cada hora é importante. Cada hora salva vidas. Todos sabemos que os animais estão a caminho da morte, mas tudo isto trata-se de sofrimento desnecessário”, disse Gabriel Paun, diretor da Animals International na Europa, citado pelo The New York Times.

Além de ovelhas, sabe-se que entre as embarcações que aguardam para seguir viagem há também mais de uma centena de navios carregados com petróleo e gás natural, além de 15 navios com 80 contentores cheios de chá de uma empresa holandesa, além de carvalhos franceses destinados a uma empresa de madeiras ingelsa, por exemplo.

A Ikea, conhecida marca de mobiliário sueca, revelou ainda que entre o Ever Given e outros navios bloqueados tem mais de 110 contentores cheios de móveis presos.

Como um porta-contentores encalhou no Suez e complicou todo o comércio internacional

As autoridades do Canal do Suez esperam que a situação na rota marítima de 190 quilómetros que liga o Mar Vermelho ao Mediterrâneo seja normalizada dentro de três dias e meio, no entanto, para a indústria de transporte marítimo, as disrupções podem fazer-se sentir durante várias semanas ou meses. Como consequência, é expectável que muitas empresas fiquem sem stock de alguns materiais e que os preços das mercadorias venham a subir.

Imagens de satélite mostram como o navio Ever Given desencalhou no Suez

Segundo as contas do chefe do presidente da Autoridade do Canal do Suez, Osama Rabie, para o Egito, o bloqueio causa prejuízos diários de cerca de 14 milhões de euros, enquanto a seguradora Allianz estima que, para o comércio mundial, cada dia de bloqueio pode custar entre cinco mil milhões de euros a 8,5 mil milhões de euros, além de poder reduzir o crescimento anual do comércio em 0,2 a 0,4 pontos percentuais.

Entretanto, começaram também as operações para apurar o que levou a que o Ever Given, de 400 metros de comprimento e 200 mil toneladas, ficasse encalhado no Canal do Suez. De acordo com a Associated Press, esta terça-feira entraram no porta-contentores os primeiros inspetores, esperando-se o início de um longo processo para apurar responsabilidades que podem envolver biliões de euros em processos judiciais.